Estudo aponta cooperação como fator determinante para desenvolvimento da biotecnologia

07/05/2014 - A cooperação entre governo, indústria, centros de pesquisa e universidades é um fator determinante para o desenvolvimento da biotecnologia nos países A constatação é do estudo "Construindo a Bioeconomia: Examinando Estratégias de Desenvolvimento da Biotecnologia Industrial Nacional", realizada pela consultoria norte-americana Pugatch. Apresentada pela primeira vez fora dos Estados Unidos, a pesquisa traz dados comparativos de oito países, entre eles o Brasil, com estratégias de desenvolvimento industrial para a biotecnologia,. No estudo, sete fatores foram considerados: capital humano, infraestrutura de P&D, proteção de propriedade intelectual, ambiente regulatório, transferência tecnológica, incentivos fiscais (mercado e comércio) e segurança jurídica. "O mais importante é a sinergia entre o setor público e o setor privado. Se houver isso, haverá uma economia emergente. O governo, a indústria, os centros de pesquisa e as universidades devem sentar juntos para definir a biotecnologia como prioridade. É preciso mais parcerias público-privadas. O governo precisa da indústria, a indústria precisa do mercado e o mercado precisa de demanda", declarou o fundador da Pugatch Consilium, Meir Pugatch. Brasil O estudo da consultoria norte-americana aponta as forças e os gargalos dos países pesquisados. No caso do Brasil, mostra importantes avanços, como aumento da mão de obra em pesquisa (dobrou desde 2000), e o programa Ciência sem Fronteiras. Entre os obstáculos, cita a falta de mão de obra qualificada e baixa porcentagem da população com ensino superior. Para mais detalhes sobre como o país foi avaliado pela pesquisa em outros fatores, acesse o site http://www.abdi.com.br/Paginas/noticia_detalhe.aspx?i=3806. Fonte: portal Agência Gestão CT&I
Fonte: Fundep


Comentários da notícia