EUA investigam 55 universidades por omissão em denúncias de abuso sexual

07/05/2014 - Washington - O governo dos Estados Unidos publicou na quinta-feira passada uma lista de 55 universidades que estão sendo investigadas pela gestão das denúncias sobre abuso sexual no campus, entre elas algumas das mais prestigiadas do país como Harvard, Princeton e Dartmouth. A lista divulgada pelo Departamento de Educação faz parte do esforço da administração de Barack Obama de promover um papel mais ativo dos centros americanos em prevenir e responder aos casos de estupro e assédio, que afetam uma em cada cinco estudantes do país durante sua passagem pela universidade. "É necessário haver transparência", disse o secretário de Educação, Arne Duncan, em entrevista coletiva na Casa Branca. "Provavelmente ninguém gosta de ver seu nome nessa lista. Mas vamos investigar, vamos tomar ciência dos fatos. E se tiverem feito tudo bem, seremos muito claros e diremos que fizeram tudo perfeitamente", acrescentou, ao ressaltar que não há "nenhuma presunção de culpabilidade". As universidades estão sendo investigadas por possíveis violações ao Título IX, uma regulação que proíbe a discriminação de gênero nos centros educativos que recebem recursos federais e à qual recorreram muitas vítimas para denunciar a falta de ação das instituições. Entre as universidades sob a lupa estão centros privados prestigiados como Emory University, a Universidade da Califórnia do Sul e as universidades Amherst e Swarthmore; além de centros públicos como Berkeley, a Universidade da Califórnia, a estadual do Arizona e a estadual de Ohio. Cerca de metade dos estados do país têm universidades invetsigadas e há seis em Massachusetts, cinco na Pensilvânia, quatro em Nova York, na Califórnia e no Colorado. Em comunicado, a Universidade de Harvard disse que contratou uma equipe para se concentrar especificamente em assuntos relacionados com o Título IX, com o que esperam "melhorar significativamente a maneira como o centro responde aos incidentes de má conduta sexual entre estudantes, professores e pessoal". Obama ordenou em janeiro a criação de um grupo de trabalho para combater o abuso sexual e esse coletivo apresentou na terça-feira um relatório com as primeiras recomendações, entre elas a de que as universidades façam pesquisas em seus campi sobre o problema. "As universidades não podem continuar fechando os olhos ou fingir que os estupros ou os abusos sexuais não existem", sentenciou o vice-presidente, Joe Biden, ao apresentar o relatório. EFE
Fonte: Yahoo


Comentários da notícia