Movimento pede a descolonização dos currículos

Estudantes questionam o estudo exclusivo de autores do sexo masculino, ocidentais e brancos


Há um movimento na Europa pedindo a ‘descolonização’ dos currículos – e as instituições de ensino superior estão buscando atendê-lo. University of Cambridge, University College London e University of Birmingham são algumas das que estão revendo a bibliografia dos cursos para torná-la mais diversa.


Atualmente, grande parte delas é dominada por autores masculinos, brancos e ocidentais, como apontam os defensores das mudanças. Essa demanda dos alunos é tão forte na Europa que um relatório de tendências para 2019, produzido pela Open University, apontou a descolonização como um dos grandes fatores de influência do ano.

descolonizar currículos pesagógicos


Fonte: https://revistaensinosuperior.com.br/descolonizar-curriculos/


Comentários da notícia