Doutorando brasileiro foi premiado em concurso de pôsteres científicos do Instituto de Geografia da Universidade Paris-Sorbonne

03/05/2014 - Capes Bolsista do Ciência sem Fronteiras na área de Geociências recebe premiação em concurso na França Bolsista de doutorado pleno pelo Ciência sem Fronteiras (CsF), Francisco Martins Cortezzi, foi premiado como "Premier accessit" no Concurso de Pôsteres Científicos da Escola Doutoral de Geografia da Université Paris IV - Sorbonne, realizado pelo Instituto de Geografia da universidade. A premiação aconteceu no mês de abril. Desde outubro de 2013, o estudante se encontra na instituição, onde desenvolve sua tese na área de geociências, e permanece até setembro de 2016. "O apoio recebido pelo governo federal é fundamental, pois com a bolsa é possível que possamos nos dedicar plenamente aos estudos. Ao regressar ao Brasil, pretendo atuar na carreira docente-pesquisador em uma universidade federal", disse Francisco. Trabalho O trabalho com título "Processus dévolution du tissu urbain dOliveira, Minas Gerais, Brésil" teve como objetivo principal analisar a dinâmica de evolução do tecido urbano da cidade de Oliveira (localizada no estado de Minas Gerais), assim como identificar seus principais vetores de crescimento. Tais resultados são extremamente importantes para a gestão e planejamento territorial, assim como para políticas públicas de uso e ocupação do solo e outras que se fizerem necessárias. Primeiro foi feito um mapeamento da evolução do tecido urbano de Oliveira para, em seguida, realizar uma análise temporal descritiva do processo de evolução do tecido urbano da cidade. Durante as análises, foram feitas comparações entre os tamanhos e formas nos diferentes anos analisados, assim como a identificação e o monitoramento dos principais vetores de crescimento de Oliveira. Sobre o CsF Ciência sem Fronteiras é um programa do governo federal que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC. Lançado em dezembro de 2011, o Ciência sem Fronteiras já concedeu mais de 62 mil bolsas. A meta do programa é oferecer 101 mil bolsas até 2015. Dentre elas 75.000 bolsas serão financiadas com recursos do governo federal e 26.000 bolsas serão concedidas com recursos da iniciativa privada. Além disso, o programa busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior. Outros dados do programa podem ser consultados no Painel de Controle do CsF. Informe-se sobre os tipos de modalidades de bolsas ofertadas e as áreas contempladas pelo programa federal
Fonte: Capes - Ciências sem Fronteiras
Fonte: Jornal Brasil - Araraquara/SP


Comentários da notícia