Você tem pavio curto no trabalho?

24/04/2014 - Antes de agir por impulso, vale lembrar que muitos profissionais são contratados por suas qualificações técnicas, mas demitidos pelo seu comportamento RIO — Ao receber críticas no trabalho, como você reage? Respira e responde com calma ou revida com agressividade? Antes de agir por impulso, lembre-se de que muitos profissionais são contratados por suas qualificações técnicas, mas demitidos pelo seu comportamento. Segundo a coach e consultora de carreira Waleska Farias, a maioria dos profissionais de “pavio curto”, mesmo depois de deixar a empresa, não consegue compreender os traços de sua personalidade que provocaram o desligamento. — A regra é não se descontrolar. Se não gostar do que está ouvindo, recomponha-se e só depois responda. Quando a boca não consegue dizer o que o coração recomenda, o melhor é deixá-la fechada para não agir por impulso e se arrepender depois. Sócia-diretora da Yluminarh e professora do Ibmec-RJ, Ylana Miller ressalta que a falta de autocontrole e baixa inteligência emocional podem prejudicar, e muito, a imagem do profissional, o seu relacionamento com o líder e pares, além de comprometer a sua carreira. — É essencial saber lidar com as emoções e não permitir que a irritabilidade e a ansiedade prejudiquem o desempenho e resultados do profissional. Em casos mais extremos, Ylana recomenda o investimento em práticas de autoconhecimento com ajuda profissional. Ao conhecer as próprias emoções, o indivíduo se sentirá mais seguro, com mais consciência de suas decisões e ferramentas para lidar com as emoções dos outros, diz Ylana: — O contato com os próprios sentimentos orientará o comportamento do indivíduo. É importante ressaltar que emoções tóxicas prejudicam a saúde. Meu conselho é que o profissional invista nele próprio, buscando a harmonia entre emoção e pensamento. E você, será que é visto como “pavio curto” pelas pessoas com quem trabalha? Para descobrir, faça o teste elaborado pela coach Waleska Farias, que o ajudará a avaliar seu nível de resiliência no ambiente e identificar o que precisa ser melhorado para que você possa posicionar-se melhor diante de determinadas situações no trabalho.
Fonte: O GLOBO


Comentários da notícia