Empresas e consumidores dão adeus ao XP

31/03/2014 - Veterano. Versão de 2001 do Windows tem 12,5% do mercado local, mas seu suporte será encerrado na próxima segunda Se você ainda usa o Windows XP, prepare-se: a partir de 8 de abril, a Microsoft deixará de dar suporte ao produto. "E daí?", alguém pode perguntar. Mas qual foi mesmo a última vez em que você ligou para a central de atendimento da Microsoft? A principal questão é que o XP deixará de ter atualizações de segurança. Isso significa que, se forem descobertas vulnerabilidades em versões posteriores, elas serão corrigidas e relatadas pela empresa de software. Caso estejam presentes também no XP, essas vulnerabilidades ficarão expostas. Lançado em outubro de 2001, o XP trouxe melhorias consideráveis em relação ao seu precursor, o Windows 2000. Ele incorporou características do Windows NT, que era a versão do sistema operacional para empresas, mais seguro e estável. Normalmente, a Microsoft mantém o suporte a uma versão do Windows por 10 anos. No caso de XP, decidiu mantê-lo por mais de 12 anos. É uma versão muito popular. O usuário de PCs reconhece facilmente o XP pela imagem de fundo padrão, com montes verdes e céu azul, que lembram a terra dos Teletubbies, programa infantil de TV que fez sucesso há mais de 10 anos. Migração. Mesmo após todos esses anos, muitas empresas mantiveram o XP para poder rodar aplicações antigas. Versões mais novas do Windows, como 7 e 8, não rodam direito programas que funcionavam no XP e seus antecessores. Existem companhias, inclusive, que compraram computadores novos e depois fizeram "downgrade" do sistema (trocaram a versão mais nova pelo XP). "A demanda pela migração está bem grande", afirma Romulo Pinto de Magalhães, gerente comercial da Full Service Informática, empresa parceira da Microsoft. "A maioria dos projetos ainda está em andamento." Um de seus clientes tem 4 mil computadores, e o processo de troca de sistema operacional começou há seis meses. Segundo Magalhães, as empresas que procuraram a Full Service geralmente têm um departamento de tecnologia da informação mais maduro. "As normas de auditoria exigem uma garantia de suporte, principalmente por motivos de segurança", explica. Alguns clientes, principalmente os que usam muitas aplicações de governo, têm um processo de migração mais complicado. Independentemente do fim do suporte, um cenário que tem demandado a troca de versão do sistema é a adoção de soluções mais modernas, como computação em nuvem. Existe software mais recente que não roda no Windows XP. Caixas eletrônicos. Era a segunda versão mais usada, depois do Windows 7, com 65%. O Windows 8, versão mais atual, tinha somente 3%. A fatia de 14% dos que ainda usam o XP incluem consumidores e empresas dos mais diversos tamanhos. Os maiores bancos do País realizam atualmente um esforço para atualizar o sistema dos caixas eletrônicos. O fim do suporte ao Windows XP também afeta empresas menores, como a agência de turismo Sakura Tour, cliente da Full Service. A companhia tinha 48 computadores, sendo 28 com o XP. A migração para o Windows 7 foi feita em três dias. Além de atualizar o software, a empresa se desfez de cinco máquinas, muito antigas, e comprou mais oito. "Ficamos sabendo do fim do suporte há cerca de dois meses", conta Wagner Chaves, sócio-proprietário da Sakura Tour. "Minha empresa mexe com passagens aéreas, que têm valor elevado, e precisa de segurança." Chaves sentiu diferença na velocidade de seu computador, que foi trocado. "O antigo demorava muito para carregar." A Microsoft vem falando com os usuários sobre o fim do suporte do XP desde 2007, segundo Fábio Gaspar, gerente de produtos Windows da empresa. Além das atualizações de segurança, a Microsoft deixará de oferecer, a partir do dia 8, suporte telefônico para o XP. Também pode haver problemas com drivers de periféricos, como impressoras. "Temos programas de incentivo e apoio técnico e financeiro para a migração", diz Gaspar. RENATO CRUZ
Fonte: O Estado de S.Paulo


Comentários da notícia