Trabalho com imagem e infância é destaque na Argentina

31/03/2014 - Pesquisa é com crianças da Educação Infantil e do Ensino Fundamental de Escolas Públicas Site argentino que divulgou pesquisa desenvolvida na Unesp O site argentino LatinLab, em http://latinlab.org/2014/03/28/luz-camara-infancias/, destacou pesquisa desenvolvida por César Donizetti Pereira lei, professor do Instituto de Biociências da Unesp de Rio Claro. O projeto propõe uma “aventura” intelectual, estética e de pensamento ao entregar câmeras fotográfica, filmadoras e Ipads para crianças de Educação Infantil e do Ensino Fundamental de Escolas Públicas no Brasil. A orientação é simples. São apresentados os equipamentos e o uso básico dos mesmos, como botões de ligar e desligar. A proposta é que as crianças produzam imagens dentro do universo escolar, e com isso perguntar o que podem oferecer crianças quando estão com câmeras nas mãos? O que podem provocar e pensar as crianças quando saem da condição de espectadores diante de uma TV ou sala de cinema e se colocam na condição de produtores de imagens, de filmes, de narrativas imagéticas? No trabalho desenvolvido, a infância é pensada não como conceito ou como referencia de um lugar definido e dado, como lugar de uma fase na vida, mas como abertura, como lugar em que a dobra faz surgir outros desdobramentos, outros sentidos. Dessa forma, quando se diz produção de imagens por crianças, educação e infância, não se pensa em modos novos ‘para educar’, formas ‘modernas’, atuais e eficiente de conduzir ‘a terra prometida’, mas de modos, mirada e sentido que possam ser outros. As imagens e a infância convidam a que cada um se coloque nos inícios das coisas, naquilo que ainda não é, naquilo que pode vir a ser, nos espaços onde os sentidos ainda não dados, a infância parece colocar a cada um, não onde devemos chegar, mas sim o ‘lugar’ de onde partimos. Crias-e então a necessidade de caminhar e experimentar. A infância na condição de começo é sempre travessia. Travessias de percursos sinuosos, lentos e rápidos, focados e desfocados, de espaços em que o pensamento não acontece sobre e ou a partir de algo dado, mas o pensamento como algo que brota com imagens, com infâncias, com sensações, lugares de retirada do previsto, do calculado, lugares de vertigens onde corpos se misturam, se encontram, se desaparecem de uma perspectiva orgânica, organizada, são corpos que acabam se constituindo em corpos sem órgão, sem forma, em movimentos de tempos, de pausas no tempo, tempos rápidos, curtos, deslocamentos em corpos que se misturam com outros corpos produzindo corpos outros, derivando na câmeras, das câmeras, são corposcâmeras se produzindo em camerascorpos, corpos zoons, corpos quebras, corpos cenas, corpos montagens numa experiência de produção de pensamento com crianças e imagens, uma experiência educativa. Sobre César Donizetti Pereira Leite Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1991), mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2002), Pós Doutorado pela FLACSO Argentina em 2008 e pela Universidade Complutense de Madrid 2012 é Livre Docência pela Unesp em 2011. Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Estadual Paulista e foi Professor Visitante na Universidade Católica de Leuven - Bélgica em 2011. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia do Desenvolvimento e da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, infância, experiência, linguagem e ensino e aprendizagem, produção imagética e cinema. Para informações ou solicitação de vídeos e/ou imagens da pesquisa césar@rc.unesp.br Portal Unesp
Fonte: Esteta - São Paulo/SP


Comentários da notícia