A Educação

29/03/2014 - É preciso priorizar a qualidade e não os números Caro leitor, boa notícia na área da Educação. O governo Ortiz Junior (PSDB) deu início ao projeto de um ‘ professor extra’ em salas de aula da rede municipal de ensino, como prometido à população durante a campanha eleitoral. A iniciativa, de acordo com o Executivo, está sendo colocada em prática gradualmente — a meta é atender até o fim do ano todas as salas do 1º e 2º ano do ensino fundamental. O objetivo é dar aos alunos uma atenção maior, favorecendo assim o seu aprendizado. No material de campanha o prefeito prometeu ‘colocar um professor mais um auxiliar em todas as turmas do primeiro ano do ensino fundamental, contratando estudantes do último ano de pedagogia, para que as crianças aprendam a ler e escrever até os 8 anos de idade’. Vai surtir efeito, caro leitor? Este ano a prefeitura deu início também à implantação de outra promessa de campanha, que foi ampliar o ensino integral na rede municipal. Em fevereiro, o número de unidades com esse modelo de aprendizado passou de 17 para 41 e a promessa é que até o fim do ano as 54 escolas de ensino fundamental tenham ensino integral. Na propaganda oficial, Ortiz diz que são mais de 10 mil alunos atendidos atualmente em horário integral. Ortiz anunciou também, como você acompanhou na Gazeta de Taubaté, que pretende ‘zerar’ o déficit de vagas em creches de Taubaté. O número é alto: são 3.000 famílias à espera de uma vaga, algo de importância fundamental em uma sociedade em que a mulher é cada vez mais chefe de família e precisa trabalhar para sustentar a casa. A prefeitura promete construir 16 novas unidades até o início de 2015, em parceria com os governo estadual e federal. ‘Temos ainda o ano todo de esforço para que no segundo semestre a gente diminua o déficit de vagas, mas até o início do ano que vem a ideia é que a gente tenha 3.000 vagas criadas, para que nenhuma criança fique fora da escola’, declarou o prefeito em entrevista ao repórter Julio Codazzi. Recentemente, o governo deu início também ao processo licitatório para que as quadras das escolas municipais sejam cobertas e anunciou que uma comissão de pais e alunos vai fiscalizar a qualidade da merenda — outras promessas eleitorais. Até aqui, caro leitor, o prefeito cumpriu na íntegra três das 53 promessas contidas no programa de governo — outras 19 estão em andamento e 31 estão na estaca zero. Você pode acompanhar essa relação no site da Gazeta de Taubaté, no link sobre as promessas de Ortiz. É muito número, não é mesmo? E como mostra a propaganda oficial do governo, aquela em que dados anunciados estão fora da realidade e mostram uma Taubaté cenográfica, é preciso tomar cuidado para não cairmos nas armadilhas do ‘numero’. Afinal, a qualidade é que tem importância, mais do que a quantidade. O ensino integral, por exemplo, está sendo definido como ‘depósito de alunos’ por pais e pela Comissão de Educação da Câmara, em razão da falta de estrutura com que foi executado. Outro exemplo: se na eleição Ortiz promete cobrir todas as quadras das escolas e afirma que cumpriu a promessa — no entanto a licitação engloba apenas quatro unidades. É preciso ter muita atenção com os números. Esses projetos vão dar resultado? Taubaté torce para que sim, pois são necessários. Você, caro leitor, é quem exerce o papel de professor nesse contexto, avaliando o desempenho de Ortiz. Com o que viu nesses 15 meses de governo, que nota você daria?
Fonte: Gazeta de Taubaté - SP


Comentários da notícia