Mídia: como dividir para multiplicar ?

26/03/2014 - Caro leitor, convém prestar atenção: por conta da revolução tecnológica digital, a comunicação humana jamais contou com tantos meios de difusão e conexão. Portanto, não tenha dúvida de que entender a arquitetura desses sistemas em mutação é fundamental para quem constitui e administra negócios em qualquer segmento. Comunicar de modo efetivo, hoje, exige a adoção de práticas que permitam, por meio da seleção de canais, fazer com que a mensagem cruze, de alguma forma, o caminho do cliente-alvo. Enquanto conceito, convenhamos, não é nada novo. Nas igrejas cristãs, há muito tempo, os clérigos expõem suas doutrinas em sermões. E esperam que o recado seja perfeitamente compreendido e fixado depois, quando os fiéis reencontrarem a mensagem no texto bíblico correspondente. Neste caso, tratamos de uma faceta do primitivo mix de comunicação de marketing, cujo conceito, porém, aplica-se perfeitamente ao tempo presente. Se hoje dispomos de tantos meios - singulares como o smartphone ou genéricos como televisão aberta - gerir a comunicação demanda a construção de estratégias que contemplem recursos de crossmedia ou transmedia. Opa! Confuso? Difícil de entender? Que nada! O conceito é simples. Trata-se de dividir o conteúdo de comunicação em diversas mídias e plataformas, nos meios online e offline, e assim multiplicar sua força de impacto. Nesse sistema, utilizam-se as particularidades de cada canal para contar a “história” e sensibilizar o receptor. Crossmedia é, sobretudo, experiência de interação e entendimento. Permita-me recorrer a uma espécie de metalinguagem para ilustrar a ideia, apresentando o case desta própria newsletter. Certamente, ela ganhou leitores por conta de minhas palestras. Dentre aqueles que me ouviram, muitos desejaram, depois, conferir meus textos sobre os assuntos do momento, sempre sob o ponto de vista da gestão. Na sexta-feira, dia 21 de março, entretanto, vivi uma situação bastante peculiar, em que pude comprovar a eficácia do sistema de meios cruzados de difusão informativa. Em minha coluna Gestão Descomplicada, levada ao ar pela Rádio CBN, informei os ouvintes sobre este canal de comunicação. Acredite: em meia hora, ganhamos mais de 300 cadastros. Quando se abriu a semana, havia um lote de mais de mil interessados em receber os artigos da Magia da Gestão. Lições? Não despreze as chamadas mídias tradicionais. Muita gente ainda ouve rádio. Ele gera aproximação, constitui relações de confiança e realmente informa. O rádio funciona! Em várias situações, a mensagem do locutor pode ser facilmente esquecida. Por isso mesmo, tomamos nota do que dizem nossos professores. A escrita explica, detalha e facilita a retenção da mensagem. Se você espera difundir a mensagem de sua ONG, se disputa a presidência do seu clube ou se simplesmente precisa vender seu serviço ou produto, diversifique sua comunicação, divida para multiplicar. Lembre-se de que, para obter resultados de volume na pesca, você não pode contar apenas com o prosaico conjunto de vara, linha, anzol e isca. Se você realmente pretende encher o cesto, precisará de uma boa REDE. Costure a sua. Afinal, a teoria, na prática, funciona! Carlos Júlio é professor, palestrante, empresário e escritor. Leia mais artigos do Magia da Gestão. Siga @profcarlosjulio no twitter e seja fã no Facebook.
Fonte: Magia da Gestão


Comentários da notícia