Professor do IFAM integra comitiva de pesquisadores em Colleges Canadenses

19/03/2014 - Durante três meses, o professor José Anglada Rivera, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM), fará parte da comitiva de 43 pesquisadores de instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica que desempenharão atividades em 19 Colleges Canadenses, tendo como missão ampliar conhecimentos em gestão e organização de ações de pesquisa aplicada articulada com o setor produtivo. Os professores embarcaram para o Canadá em fevereiro e retornam ao Brasil no dia 16 de maio. Além de vivenciar projetos e processos voltados a atender a demanda de mercado nas áreas tecnológicas, os servidores da Rede ficarão em contato direto com pesquisadores e empresas de referência mundial em pesquisa aplicada. Segundo a Pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação Tecnológica do IFAM, professora Ana Mena Bastos, a proposta é qualificar esses profissionais em pesquisa e inovação tecnológica para futura troca de experiências no Instituto. “A indicação do professor surgiu a partir do trabalho aplicado por ele em pesquisa e inovação em âmbito educacional, e sua experiência em Colleges canadenses servirá para a troca de experiências em prol da cultura de pesquisa aplicada e inovação tecnológica no Instituto”, disse. Ação da Rede Federal A ação é resultado de parceria entre a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o Conif e a Associação dos Colleges Comunitários Canadenses (ACCC). Com início das atividades no dia 17 de fevereiro, o programa terá como foco a construção de conteúdos curriculares articulados às demandas regionais; o processo de atração de empresas; estudos dos papéis entre os atores do desenvolvimento de pesquisa básica, aplicação de pesquisas e os espaços para financiamento, tanto do governo quanto da iniciativa privada. Para o presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Luiz Caldas, a mobilidade incrementa as ações da Rede e amplia as possibilidades de inovação. “Mais do que solidificar o processo de internacionalização da Rede, a aproximação a outros países incentiva a criatividade e a prática de ideias e soluções inovadoras. Ações dessa natureza, favoráveis à sociedade, estão presentes na essência dos institutos federais”, disse. O secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Marco Antonio de Oliveira, destaca que a política de inovação do governo federal prioriza a criação de novos processos e produtos visando o aumento da competitividade. “Temos aqui potencial e estamos valorizando nossos alunos e professores. Com o contato direto com o setor produtivo e laboratórios bem equipados teremos respostas para a sociedade”, concluiu.
Fonte: Amazonas Notícias - Manaus/AM


Comentários da notícia