Educação de Jovens e Adultos deve atender 45 mil pessoas no Piauí

05/03/2014 - No intuito de garantir à população educação básica, inclusão social e a inserção no mercado de trabalho, por todo Piauí espalham-se programas voltados à Educação de Jovens e Adultos (EJA). Apenas através dos programas Brasil Alfabetizado e Mais Viver, aproximadamente, 45 mil jovens e adultos piauienses serão alfabetizados em 2014. Gerido pela Secretaria de Educação e Cultura do Piauí (Seduc), o programa Mais Viver funciona em 29 municípios e atende cerca de seis mil alunos. O Governo do Estado investe, anualmente, cerca de R$1,5 milhão para a manutenção do programa. No caso do Brasil Alfabetizado, a Seduc atua em parceria com o Governo Federal e atende 39 mil alunos, em 200 municípios piauienses. A meta dos programas é assegurar melhor qualidade de vida através da educação. Para dar continuidade ao ensino, o programa Direito de Aprender Mais abre vagas para 3 mil alunos egressos dos programas de alfabetização. Serão 150 turmas distribuídas por todo o Estado. Temos buscado garantir o direito a escolarização, com a preocupação de capacitar os jovens e adultos atendidos pelos programas. Percebemos que através da qualificação, as pessoas têm ampliado seus sonhos e já buscam um melhor emprego ou ensino superior, relata a diretora da Unidade de Educação de Jovens e Adultos. Entre os programas de qualificação profissional se destacam o Projovem Urbano, que atende cerca de nove mil pessoas de 18 a 29 anos oferecendo ensino fundamental com qualificação profissional, em que cada aluno recebe uma bolsa no valor de R$100, além do Projovem Campo, que funciona integrado ao projeto Caminhando para o Futuro. Além disso, o EJA também funciona de forma semipresencial, através dos Centros e Núcleos de Educação de Jovens e Adultos (Ceja/Neja), que atuam na garantia de Ensino Fundamental e Médio em todo o Piauí. Na última turma, 12 mil alunos foram beneficiados com o programa. Parcerias A Unidade de Educação de Jovens e Adultos também atua em parceria com outros órgãos. Junto à Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Sasc), são ofertados ensino regular e cursos profissionalizantes aos menores infratores do Centro de Educação Masculino (CEM). Os internos da Fazenda da Paz também recebem educação através dos programas. redacao@cidadeverde.com
Fonte: Cidade Verde - Teresina/PI


Comentários da notícia