Entenda por que ser uma pessoa ocupada não é bom para você

05/03/2014 - Você acredita que estar constantemente ocupado e resolvendo problemas é benéfico para a sua carreira? Entenda por que isso não é verdade Elabore um plano em que você consiga fazer mais coisas com a quantidade de tempo que você possui A cultura de muitas empresas é fazer com que os seus funcionários trabalhem ativamente o tempo todo: marcam reuniões, passam tarefas complexas e estabelecem prazos curtíssimos. Se você acha que isso ajuda na sua carreira e pode torná-lo um melhor profissional, você está enganado. Pessoas com muitas tarefas pendentes, normalmente, sentem que possuem pouquíssimo tempo para realizar todas as atividades do dia. Por isso, elas passam a se sentirem pressionadas e começam a correr para conseguir terminar tudo até o final do expediente. A obrigação de ter que realizar tarefas rapidamente, além de ser desgastante, faz com que o trabalho seja mal feito. Pessoas extremamente ocupadas não têm tempo para se manterem focadas e, por isso, se distraem facilmente. Além disso, funcionários muito ocupados não conseguem pensar a longo prazo e, por isso, acabam tomando más decisões e não medindo a consequência de seus atos. Como eles não têm tempo para analisar os detalhes de uma situação, eles acabam tomando decisões de forma automática. Entretanto, esse problema não é fácil de ser resolvido: provavelmente o seu chefe não passará menos trabalho por causa disso. Se você se encontra nessa situação, uma possível solução para o seu problema é criar listas de tarefas. Elabore um plano em que você consiga fazer mais coisas com a quantidade de tempo que você possui; ou seja, otimize os seus processos. Ao invés de realizar diversas atividades ao mesmo tempo, focar somente em uma faz com que você a termine mais rapidamente, além de evitar os erros. Estar muito ocupado o tempo todo não é bom para a sua carreira, mas nem sempre será possível evitar esse problema. Portanto, tente melhorar a situação em que você se encontra e os resultados serão melhores.
Fonte: Universia Brasil


Comentários da notícia