Os 6 principais mitos sobre ser (ou se tornar) milionário

01/03/2014 - Coach que entrevistou mais de 100 milionários para escrever um livro sobre a busca pelo primeiro milhão revela em artigo o que aprendeu com eles São Paulo – A coach executiva norte-americana Jaime Tardy fez a proeza de entrevistar mais de 100 milionários e reunir suas ideias em um livro, “The Eventual Millionaire” (ou “O Milionário Eventual”, numa tradução livre). A partir de seu contato e do que aprendeu com essas pessoas, a jovem autora escreveu um artigo, para o site de finanças e empreendedorismo voltado para mulheres Daily Worth, sobre o que ela acredita serem os seis maiores mitos sobre milionários. Os milionários que Jaime conheceu acumularam seu primeiro milhão de inúmeras maneiras diferentes – investindo em negócios próprios, no mercado de ações ou em imóveis, ou simplesmente a partir da poupança mensal paulatina. Segundo Jaime, o mais importante é notar que muitos milionários não são pessoas dotadas de talentos ou inteligência especial ou mesmo nascidas ricas, mas pessoas comuns e que não vivem da maneira estereotipada que se esperaria para um milionário. Veja a seguir os 6 mitos listados por Jaime Tardy, que podem ensinar valiosas lições sobre como se tornar um milionário: 1 Milionários são mais inteligentes Segundo Jaime, milionários não são necessariamente mais inteligentes ou espertos que a média, mas sim pessoas comuns, que cometem erros, mas que atingiram objetivos extraordinários. Ela diz que alguns podem ter dificuldade de aprendizado, outros já tiveram dívidas atrasadas, e outros ainda fracassaram em algumas empreitadas. A característica que os diferencia da multidão é uma aptidão para estabelecer metas e trabalhar em cima delas, sem deixar que desculpas atrapalhem, diz Jaime. “Eles continuam em frente, apesar dos inevitáveis obstáculos que tenham que superar”, completa. 2 Milionários são mais sortudos Jaime defende que é o trabalho duro, não unicamente a sorte, que ajuda as pessoas a se tornarem milionárias. Elas podem ser milionárias mesmo que não tenham ganhado na loteria, acertado de primeira em uma ideia de negócio ou investimento, ou mesmo que tenham demorado a encontrar um trabalho que pague bem, diz a autora. Ela conta a história de um dos milionários que ela entrevistou, Bobby Casey, fundador da empresa Global Wealth Protection. Ao fundar sua primeira empresa – um negócio de construção de bicicletas – Casey teve de bater à porta de nada menos que 60 lojas até ser aceito para prestar serviços para a rede Wal-Mart. Segundo Jaime, na época Casey não tinha dinheiro em caixa e estava endividado. Ao ser aceito, passou a trabalhar 12 horas por dia e dormia pouco. Mas o contrato com o Wal-Mart lhe abriu portas para que ele passasse a fornecer outros produtos para outras redes de varejo, até que ele vendeu sua firma em 2008. “Eu perguntei a ele o que ele acha que teria acontecido se tivesse parado antes da 60ª loja. A resposta dele? ‘Eu não teria parado nem que eu tivesse tido que ir a 300 lojas’”, conta Jaime. 3 Milionários são gastadores Segundo Jaime, 57% dos milionários que ela entrevistou se descrevem como pessoas frugais. Ela diz que normalmente, milionários não esbanjam em imóveis luxuosos e carrões, como é de se esperar, mas dirigem Hondas e Volvos, gastam seu dinheiro com suas necessidades e algumas coisas que consideram importantes. Ela cita, por exemplo, o conhecido fato de que o megainvestidor e bilionário Warren Buffett ainda mora na casa que ele comprou em 1958 por apenas 31.500 dólares. “Na maior parte dos casos, milionários chegaram onde estão precisamente porque tiveram excelentes hábitos de poupança e vivem frugalmente. Eles aprendem a fazer escolhas inteligentes e não param só porque atingiram a marca do primeiro milhão”, escreve Jaime. 4 Milionários nasceram ricos Jaime cita uma pesquisa da Fidelity Investimentos que mostrou que 86% dos milionários chegaram lá por conta própria, sem terem nascidos em famílias ricas ou herdado fortunas. Todos os milionários que ela mesma entrevistou alcançaram seu primeiro milhão sozinhos, e apenas 26% disseram ter tido conexões com pessoas importantes de antemão. Jaime conta o caso da empresária e palestrante Dani Johnson, autora do livro “First Steps to Wealth” (“Primeiros passos para a riqueza”, numa tradução livre). Com a venda de remédios para emagrecer, Dani Johnson tornou-se milionária aos 23 anos. Antes disso, ela havia passado por uma infância de abusos sexuais, foi mãe aos 17 anos e se tornou sem-teto aos 21. Dani Johnson partiu realmente do zero, montando seu primeiro negócio no porta-malas de seu carro e usando um telefone público. Como estava em uma situação péssima, Dani decidiu que mesmo que ela conseguisse muito menos do que pessoas teoricamente mais inteligentes e capazes, ainda seria mais do que ela tinha à época em que começou. “Para Johnson, a chave para o sucesso não foi nascer com dinheiro, mas ser capaz de se dar uma chance”, diz Jaime. 5 Milionários precisam ser destemidos É senso comum a ideia de que para enriquecer é preciso ser destemido e assumir grandes riscos. Mas Jaime tenta desmistificá-la, afirmando que 57% dos milionários que ela entrevistou disseram que estavam com medo antes de começar seu próprio negócio – medo do fracasso, de desapontar seus cônjuges e famílias ou de perder tudo. Ela não nega que o sucesso requer algum risco, mas afirma que milionários aprenderam a examinar as oportunidades, analisar riscos e não tomar decisões impensadas. Eles são realistas, fazem pequenos testes para saber se suas ideias vão funcionar e procuram se informar bastante antes de tomar uma decisão de investimento, diz Jaime. 6 Milionários tem contracheques milionários Muitos milionários chegaram lá por serem empreendedores, terem vendido seu negócio ou mesmo por terem alcançado posições que pagam muito bem dentro de alguma empresa, admite Jaime. Mas segundo ela, essa não é a única forma de enriquecer. A coach conta a história de Andrew Hallam, um professor que ficou milionário antes de se aposentar, levando uma vida frugal, poupando regularmente e investindo em fundos de ações de baixo custo. Jaime diz ainda que outros milionários aumentaram seus rendimentos buscando uma segunda fonte de renda, como um segundo emprego ou rendas alternativas eventuais, ou ainda obtendo aluguéis com um segundo imóvel. Sobre Jaime Tardy A coach executiva norte-americana Jaime Tardy tinha, desde muito jovem, o sonho de ser milionária. Embora tenha começado a trabalhar cedo, ao terminar a faculdade, com 24 anos, ela tinha uma dívida de 70 mil dólares e detestava seu emprego, que, entretanto, pagava muito bem. Foi então que ela decidiu que ter qualidade de vida deveria preceder a chegada ao primeiro milhão. Ela se livrou da dívida em 16 meses e pediu demissão, determinada a encontrar um trabalho ainda capaz de lhe render o tão sonhado milhão, porém que também lhe desse prazer. Hoje Jaime se sente mais feliz com seu trabalho de consultoria a empreendedores e ainda está acumulando recursos para chegar ao primeiro milhão. Na empreitada, ela decidiu ouvir os milionários para saber como eles viviam e como acumularam seus milhões. A partir de entrevistas com mais de 100 milionários, Jaime escreveu o livro “The Eventual Millionaire” (ou “O Milionário Eventual”, numa tradução livre). “Milionário Eventual”, para ela, é aquela pessoa que sabe que vai se tornar milionária, eventualmente, mas que se dedica a se tornar milionária do seu próprio jeito. Jaime define como uma pessoa que quer um negócio prazeroso e uma vida prazerosa. Julia Wiltgen
Fonte: EXAME.com


Comentários da notícia