Brasil, Marília, 25 de novembro de 2013
  Ministro da Educação
Notícias do Ministro da Educação
- AGENDA DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO

  Gestão Educacional
Direito Educacional
- PORTARIA Nº 39, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013
Empreendedorismo
- Paixão, sim, mas com preparo
- Estímulo ao negócio próprio
Recursos Humanos
- Saiba como ganhar destaque dentro da empresa e, de quebra, no mercado
- Como evitar que seus funcionários deixem o emprego em 2014
- 5 crenças que podem destruir sua carreira
- 5 formas de ser indispensável para o seu chefe
- 4 coisas que todos os chefes gostam de ouvir

  Ensino Superior
Enade
- Estudantes reclamam do Enade e fazem protesto antes de prova em SC
- Quatro mil piauienses fizeram o Enade 2013
- Estudantes realizam o Enade e prova divide opiniões de alunos
- Enade avalia 904 instituições
- Enade: se não fosse obrigatório, ninguém faria, dizem universitários
- Estudantes de SP relatam confusão para fazer a prova do Enade
Ensino
- Alunos de Oeiras cruzam fronteiras internacionais em busca de estudo
- Feira do Livro de Brasília deve receber 10 mil visitantes por dia
- Encontro do Pronatec definirá número de vagas para 2014
Ensino a Distância
- Curso online gratuito de educação financeira ajuda a controlar gastos
Ensino Fundamental
- Dilma anuncia construção de creches no Ceará e vê mudanças na educação
- Aula de tolerância e respeito
- R$ 10 milhões desviados da merenda
Estágios
- Super Estágios
Fomento à Pesquisa Científica
- Genética Vegetal: BRS Isis,nova cultivar de uva de mesa resistente ao míldio
- Pesquisa da UFSCar avalia protocolo de alongamento de músculo peitoral relacionado à tendinite do ombro
- ESA lança satélites que estudarão campo magnético da Terra
Instituições de Ensino Superior
- FAAG receberá comitiva de Moçambique para apresentação do sistema de ensino
Parcerias
- Parceria em favor do crescimento energético
Pós-graduação, MBA
- Instituto Butantan oferece curso de pós em Toxinologia
Universidades Federais
- Universidade de Brasília confere título académico ao jornalista Carlos Fino
- Cinema da UFPE está em vias de concretização
- Atenção à saúde tem recursos de R$ 82,4 milhões liberados

  Publicações
Artigos & Opiniões
- Pós: os cursos que têm a cara do Rio
- Foi bem difícil, diz estudante de 16 anos após temporada em Harvard
- Jovens precavidos
Economia
- Biocombustíveis enfrentam desafios para expansão
- Economistas veem aperto monetário maior em 2014 com Selic a 10,50%
Seminários e Eventos
- Site do cientista Sergio Costa Ribeiro será lançado nesta segunda no Rio

  Tecnologia Educacional
Tecnologia
- Fortaleza não oferece internet gratuita nos espaços públicos
- Mesas educacionais usam tecnologia de ponta para alfabetização

Imprimir
Ensino Superior
Alunos de Oeiras cruzam fronteiras internacionais em busca de estudo
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:31 hs.
25/11/2013 - Alunos tem oportunidades no Canadá, Estados Unidos, Nova Zelândia, Argentina, Chile e Espanha

“O intercâmbio para mim, para meu filho, significa conhecer, aprender, ganhar experiência. Experiência essa que é única. Isso nunca nem passou pela minha cabeça: meu filho sair do país, talvez, nunca pensei, nem em vê-lo sair da cidade. Por isso, eu deixo ele ir, para explorar conhecimentos que não adquiri”.
(Maria Vilma, mãe de Gabriel Gomes – aluno do CEMTI Pedro Sá).

“Esse depoimento, diz praticamente tudo sobre a importância do Projeto Intercâmbio para a vida das famílias e dos alunos que terão a oportunidade de vivenciá-lo. Digo que esse depoimento diz muito porque ele foi dado pela mãe do Gabriel de Oeiras, no entanto, certamente, seu conteúdo não é singular, ele reflete o sentimento de todas as mães e pais desses alunos do Piauí que ora fazem as malas para buscar conhecimentos em outros ares. Dessa forma, quero, aqui, como Gerente da 8ª GRE, apenas manifestar minha satisfação por ter alunos de nossas escolas participando desse projeto. Quero, ainda, agradecer ao Governo do Estado, à Secretaria de Educação – SEDUC – PI por proporcionar essa experiência para nossos alunos. Faço o agradecimento, não simplesmente em meu nome como Gerente da 8ª GRE, mas em nome de cada profissional envolvido nesse processo: gestores escolares, professores e principalmente em nome de cada pai e mãe desses alunos. Agradeço ao governo em nome desses pais e agradeço a esses pais por confiar seus filhos nas mãos do Governo, através da escola, da GRE e da Secretaria de Educação – SEDUC. Sou consciente de que, mesmo sabendo da importância da viagem para seus filhos, não é fácil para os pais deixá-los sair, deixá-los afastar-se do cordão umbilical para fazer uma viagem dessa dimensão. Porém, esses pais os deixam ir porque confiam na seriedade do projeto e porque sabem que é realmente uma oportunidade única de aprendizagem prática, de troca de experiências, de domínio das linguagens... um contato direto com outros povos é um contato direto com outras culturas e com elas a oportunidade de tornar -se um ser humano melhor, moral e espiritualmente enriquecido.

Portanto, agradecemos ao Governo por possibilitar ao jovem piauiense, em particular ao oeirense, essa oportunidade. Mas, quero manifestar carinhosamente meus parabéns e agradecer aos pais que acreditaram no processo e estão aqui confiantes no resultado, embora já saudosos de seus filhos e ansiosos por seus retornos, estão confiantes de que é o melhor para eles.

Dessa forma, como disse Joaquim Copeiro: “O mérito, não é meu, nem de ninguém, é dos pais que me confiaram seus filhos.” Por isso, parabéns e obrigada a todos eles", afirma Marineide Soares, Gerente Regional de Educação.

O projeto "Aprender é uma viagem" é uma iniciativa do Governo do Estado do Piauí por meio da Seduc e oferecerá aos estudantes da rede pública estadual de ensino a oportunidade de estudar um semestre letivo nas melhores instituições de ensino do Canadá, Estados Unidos, Nova Zelândia, Argentina, Chile e Espanha.

Com informações do Mural da Vila

Manoel José
Fonte: 180 Graus
Ensino Superior
Atenção à saúde tem recursos de R$ 82,4 milhões liberados
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:38 hs.
25/11/2013 - Hospitais universitários - Recursos de R$ 82,4 milhões serão destinados a 29 hospitais universitários federais do país para aplicação em atividades de atenção à saúde nos serviços ambulatoriais e hospitalares e aquisição de equipamentos de videocirurgia. O repasse está previsto no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), executado em parceria pelos ministérios da Educação e da Saúde.

Estão contemplados hospitais de 18 estados e do Distrito Federal. O Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) é o maior beneficiado, com R$ 6,5 milhões, seguido do Hospital Universitário Prof. Edgard Santos, da Universidade Federal da Bahia, com R$ 6,1 milhões. A liberação dos recursos pelo Fundo Nacional de Saúde está condicionada à comprovação, pelas unidades, da necessidade de pagamento imediato.

Criado em 2010, o Rehuf, coordenado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), tem entre as atribuições a recomposição do financiamento dos hospitais universitários federais e a recuperação física e tecnológica das unidades.

A Portaria nº 2.759/2013, que autoriza o repasse de recursos para os hospitais, foi publicada no Diário Oficial da União de quarta-feira, 20, seção 1, página 44.

Assessoria de Comunicação Social da Ebserh
Fonte: MEC
Ensino Superior
Aula de tolerância e respeito
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:27 hs.
25/11/2013 - Iniciativa do Centro de Ensino Fundamental (CEF) da 306 Norte mobiliza a comunidade escolar em torno da cultura afro-brasileira
Respeito ao próximo e às diferenças. Com o objetivo de plantar essa sementinha, a equipe de professores do Centro de Ensino Fundamental (CEF) da 306 Norte mobilizou alunos, pais e comunidade para conhecerem a fundo a cultura negra do Brasil. Inspirados pelo Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro (leia Para saber mais), alunos e professores produziram a 1ª Mostra de Cultura Afro-brasileira, com oficinas de arte, grupos de trabalho e uma exposição com informações sobre literatura, esporte, religião, música e estilo afrodescendente.

A ideia de realizar a mostra surgiu no ano passado, após uma das professoras da unidade de ensino ganhar o segundo lugar em um concurso de redação — o tema era Conscientizar para emancipar. “Ela me contou que o desejo dela era trazer esse debate para a escola e fazer um grande trabalho”, lembra a diretora do CEF da 306 Norte, Ana Paula Salim.

Cada turma recebeu um assunto, e os alunos se dedicaram ao projeto. Fizeram cartazes, pintaram quadros e bonecos e estudaram para explicar o significado de cada trabalho. “Uma mãe me perguntou como eu, referindo-se à minha pele, que é branca, poderia estar envolvida com uma causa negra. Aqui, nós abraçamos a causa e queremos uma galera mais consciente com o corpo e com a mente. E não só quanto à cultura negra, porque exercícios como esse envolvem de tudo um pouco”, disse Ana Paula.

A cultura de grupos étnicos do oeste africano foi o tema trabalhado com os pequenos. As turmas do 1º ao 5º ano elaboraram trabalhos com base no livro Obax, de André Neves, premiado autor de livros infantojuvenis. O escritor conta, por meio de uma menina africana, as dificuldades de viver na savana, mas sem deixar a alegria de lado. “Percebemos o preconceito pela fala das crianças, dos adolescentes e da família desses meninos. Tínhamos a necessidade de abrir o assunto e envolver todos eles”, afirmou a idealizadora da iniciativa, Marly Cortes. Professora de ética há dois anos no centro de ensino, a educadora quer recontar a história do negro de uma forma diferente. “Mostrar o negro não como alguém inferior, mas como quem foi escravizado, deu a volta por cima e venceu.”

Diferenças
Na turma do 6º ano, os alunos mergulharam na arte africana. Victoria Santiago e Larissa Santarém, ambas de 11 anos, descobriram que as riquezas do continente vão muito além da fauna e da flora. “Achamos umas esculturas muito legais e diferentes, e a gente aprende que ser diferente é bom. Além disso, é importante conviver com as outras pessoas”, disse Victoria. Larissa quer contar aos amigos que o português não é falado apenas no Brasil. “Não só aqui falamos assim, lá, também. O diferente também é bonito.”

A professora delas, Ana Maria Balan Buess, ficou impressionada com o interesse em sala de aula. “Eles trouxeram coisas de casa, acharam revistas que nem eu sabia, e a discussão que o Estatuto da Igualdade gerou foi muito legal”, avaliou. Curiosos em relação ao universo negro, os alunos do 7º ano descobriram as plantas, muitas medicinais, da África. “Eu não sabia que boldo e arruda eram plantas de lá. Aprendi com o trabalho e achei bom porque posso precisar no futuro”, argumentou Elisa Moraes Gonçalves, 12 anos. “A África não é só animal e pobreza. Tem muitas coisas boas, ricas e interessantes para descobrir”, afirmou Marcos Willian Pereira da Silva, também 12.

Para saber mais

Data de
reflexão

O Dia da Consciência Negra serve para refletir sobre a integração dos afrodescendentes na sociedade brasileira. A data coincide com a morte do último líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi, em 1695. Os quilombos eram comunidades isoladas, na Serra da Barriga, para onde os negros fugiam do terror da escravidão. O local chegou a abrigar 20 mil habitantes. Em 13 de maio de 1888, a princesa Isabel assinou a Lei Áurea, dando aos negros o direito de ir embora das fazendas onde trabalhavam ou continuar vivendo com os patrões, como empregados. Porém, não como escravos.

Camila Costa
Fonte: Correio Braziliense / DF
Ensino Superior
Cinema da UFPE está em vias de concretização
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:07 hs.
25/11/2013 - Cinema deve abrir até primeiro semestre de 2014

O projeto Cinema da UFPE tem apresentado sinais concretos de que vai sair do papel. Após a visita, na última semana, do membro da Cinemateca Brasileira - órgão vinculado ao Ministério da Cultura -, Osvaldo Mery, considerado um dos grandes nomes na consultoria de projetos destinados à exibição cinematográfica, o projeto começou a “tomar corpo”. A sala de exibição, a ser instalada no saguão do Centro de Convenções da Universidade Federal de Pernambuco, tem previsão para ser aberta ainda no primeiro semestre do próximo ano.

E, de acordo com o coordenador do projeto de implementação do Cinema da UFPE, Paulo Cunha, esse prazo será cumprido, pois as reformas do Teatro da UFPE não vão atrapalhar o andamento da iniciativa. “A consultoria de Osvaldo Mery foi de grande valia, pois nos deu um norte. A decisão importante é que há condições para a sala ser em formato de arena, o que seria único no Recife. Pois essa configuração exige uma grande altura, com um pé-direito de oito metros. Isso permite uma maior inclinação de poltronas, um maior conforto visual. E nenhuma sala no Recife tem altura pra isso".

Os equipamentos a serem adquiridos também prometem ao cinéfilo uma boa experiência. O projeto prevê uma projeção digital DCP 4K, de alta performance, e instalação de som Dolby 7x1, itens tido como “top de linha”. “A iluminação será em LED, mais fria, o que ajuda a trabalhar a cor. O conceito básico do projeto é oferecer ao público uma projeção perfeita”, afirma Paulo Cunha.

O planejamento do Cinema da UFPE também garante acessibilidade, não somente do ponto de vista estrutural - como rampas, espaços para cadeirantes e corredores com escritos em braille - mas de destinar à programação ao público com deficiência ou necessidades especiais. “A proposta é realizarmos sessões especiais com audiodescrição”, declara o coordenador. O espaço deve contemplar mais de 250 lugares.

Definidos o formato e a estrutura do espaço, os próximos passos serão que tipo de programação será oferecido e qual valor o público irá pagar. Assuntos, que serão discutidos pela curadoria, ainda não definida. “A princípio, a intenção é proporcionar uma programação de altíssimo nível, além de oferecer um equipamento cultural a Zona Oeste do Recife, tão carente de opções nesse sentido. Em relação ao ingresso, serão avaliados entre os três meios possíveis: a entrada gratuita, a paga integralmente ou a paga com subvenção - esta permite um valor mais baixo mas não paga a manutenção do local”, explica Paulo Cunha.

Saiba mais

Prazo - O período determinado para o funcionamento do Cinema da UFPE deve ser cumprido, segundo o coordenador Paulo Cunha, porque além de não receber interferência das reformas no teatro, não haverá alterações estruturais para a construção da sala de exibição. Toda a estrutura do espaço será aproveitada.

Davi Paes/Folha de Pernambuco
Fonte: Folha de Pernambuco - Recife/PE
Ensino Superior
Curso online gratuito de educação financeira ajuda a controlar gastos
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:08 hs.
25/11/2013 - Em formato compacto, com oito videoaulas e duração total de 50 minutos, o curso oferece uma visão resumida da Metodologia DSOP

A empresa DSOP Educação Financeira especializada em cursos a distância, presenciais e corporativos sobre educação financeira resolveu lançar uma versão reduzida gratuita do seu curso básico para os usuários online.

Com duração total de 50 minutos, divididos em oito videoaulas, o Curso de Educação Financeira Online Gratuito tem como público alvo pessoas que precisam retomar o controle da vida financeira. Ele oferece um vôo panorâmico sobre a chamada Metodologia DSOP, desenvolvida pelo fundador da empresa, Reinaldo Domingos.

Cada videoaula combina informações e exercícios e finaliza com um teste, que deverá ser realizado para avançar para as próximas aulas. Por ser online, ele pode ser feito no ritmo do usuário e em diferentes dispositivos digitais - a empresa tem versão para desktops, notebooks, tablets ou smartphones.

O curso também oferece materiais de apoio para download e exercícios sobre cada uma das aulas apresentadas. Dessa forma, possibilita que se aprenda com maior facilidade na teoria e na prática. O curso está disponível no site da empresa, mediante cadastro.

Da Redação
Fonte: IDG Now
Ensino Superior
Dilma anuncia construção de creches no Ceará e vê mudanças na educação
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:36 hs.
25/11/2013 - PAC 2 - “A combinação de creches, alfabetização na idade certa e ensino integral vai fazer o Brasil mudar de patamar na educação.” A afirmação foi feita pela presidenta da República, Dilma Rousseff, na sexta-feira, 22, durante evento em Fortaleza, para anunciar investimentos em creches e mobilidade urbana. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, também participou da cerimônia.

A presidenta assinou acordo com a prefeitura para início da construção de 86 creches em Fortaleza. Com investimento de R$ 117 milhões, as creches fazem parte do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC2) e serão construídas com metodologias inovadoras em até sete meses. Do total, 76 unidades terão capacidade para atender 240 alunos e 10 unidades vão atender 120 alunos.

“Eu fico muito feliz de estar aqui no anúncio dessas creches. Creche é algo fundamental para que tenhamos, sobretudo, qualidade na educação para os brasileirinhos desse país. Temos que dar oportunidades iguais”, afirmou Dilma Rousseff.

A presidenta destacou também outras ações do Ministério da Educação que têm contribuído para o desenvolvimento dos estudantes. Um dos principais programas é o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, lançado no ano passado para garantir o aprendizado de crianças até oito anos. O modelo, inclusive, foi inspirado em um programa do governo do estado do Ceará. Dilma lembrou ainda o empenho do governo federal para oferecer educação em tempo integral em mais de 49 mil escolas.

Assessoria de Comunicação Social, com informações do Palácio do Planalto
Fonte: MEC
Ensino Superior
Enade avalia 904 instituições
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:40 hs.
25/11/2013 - Heloísa Pires, aluna de odontologia, achou a prova bem elaborada

A tarde de ontem foi de avaliação para mais de 196 mil universitários matriculados em 904 instituições de educação superior. Alunos concluintes de 13 cursos de graduação e quatro tecnológos, com previsão de conclusão até julho de 2014 ou que já cursaram 80%, tiveram que fazer a prova do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) 2013.

Em Brasília, em um dos locais de avaliação, a quase 10 minutos do fechamento dos portões, alunos correram para não perder o exame. O estudante do curso de gestão ambiental, Guilherme Brasileiro, 21 anos, foi um dos últimos a entrar no Centro Universitário de Brasília (UniCeub), na Asa Norte. Ele procurava o nome na lista com as salas: “Tenho que correr porque senão eu perco o diploma”. O estudante ausente na prova ficará em situação irregular e pode não receber o certificado de conclusão do curso.

Da mesma forma que ocorreram atrasos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no fim de outubro, o Enade registrou vários casos de graduandos que perderam a hora de entrada. O Enem 2013 registrou 29% de abstenção, aproximadamente 2 milhões de candidatos. O fechamento dos portões ontem foi exatamente às 13h. Vários estudantes perderam o exame. A aluna de biomedicina Stefany Andrade, 24 anos, conta que confundiu os horários e se atrasou. “Cheguei a me preparar para o exame. Na faculdade, tivemos até aulões e simulados”, lamentou a estudante.

A aplicação do exame durou até as 17h. Na saída, o estudante de medicina da Católica André Alves, 24 anos, disse que a prova foi muito bem elaborada e apresentou um nível elevado de dificuldade. “Achei bom porque o teste valoriza o meu curso e ajuda na minha preparação para a prova de residência médica”, comentou.

Para Heloísa Pires Carneiro, 28 anos, a avaliação estava de acordo com o conteúdo lecionado no curso de odontologia. Antes do teste, ela se preparou fazendo alguns exercícios específicos do Enade. “Só achei que o tempo da prova poderia ser maior, para ela ser feita com mais tranquilidade.”

Avaliação

O Enade integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), criado em 2004. Neste ano, foram avaliados os cursos de bacharelado nas áreas de agronomia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social e zootecnia. Além dos cursos tecnólogos em Agronegócio, Gestão Hospitalar, Gestão Ambiental e Radiologia. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgará os dados referentes ao exame ao longo desta semana.
Fonte: Correio Braziliense - Brasília/DF
Ensino Superior
Enade: se não fosse obrigatório, ninguém faria, dizem universitários
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 07:57 hs.
25/11/2013 - Avaliação do ensino superior é aplicada neste domingo para quase 200 mil universitários em todo o País

A maior parte dos alunos que estavam prestes a realizar o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), na Faculdade Porto-Alegrense (Fapa), afirma que se a prova não fosse obrigatória, poucas pessoas apareceriam para participar, ainda mais em um domingo de sol e temperatura na casa dos 25ºC, na capital gaúcha.

Poucos foram os defensores do Enade, a maioria considerava que não é possível avaliar anos de um curso universitário através de uma prova. É o caso de Adriane Quevedo Boff, que cursa Serviço Social na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).

"Uma prova não é o bastante para avaliar, ainda mais meu curso, que é muito prático", diz Adriane, cuja maior reclamação é a respeito da obrigatoriedade do exame.

Já a estudante de Medicina da PUC-RS, Natalie Rocha, diz que é injusto a comparação que é feita no seu caso. Ela explica que o exame vai comparar sua turma, no final do curso, com outra que fez a prova no início do curso, há anos atrás. "Não é justo quando comparam com outra turma, acho que não está sendo coerente", diz a universitária reclamando da proximidade do Enade com outros importantes compromissos de seu curso.

Tagli Feijó, estudante de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) também é crítico em relação ao exame, mas ao mesmo tempo, considera que não existe outra forma de se avaliar o curso. "Enquanto não inventarem uma outra forma de avaliar, não é justo, mas é o que temos".

Entre os entrevistados neste começo de tarde de domingo, apenas um universitário se disse satisfeito com a proposta e resultados do exame, foi o estudante de Gestão Ambiental da Uniasselvi Henrique Tessaro Oliveira. "É importante porque avalia o padrão dos cursos", avaliou.

Enade
Criado em 2004, o Enade integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). O objetivo do exame é aferir o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação ao conteúdo programático, suas habilidades e competências.

A edição de 2013 é aplicada neste domingo, com a avaliação do desempenho de aproximadamente 200 mil estudantes de cursos de bacharelado em agronomia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social e zootecnia. O exame também avalia os cursos de tecnólogo em agronegócio, gestão hospitalar, gestão ambiental e radiologia.

Daniel Favero
Direto de Porto Alegre
Fonte: TERRA
Ensino Superior
Encontro do Pronatec definirá número de vagas para 2014
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:37 hs.
25/11/2013 - Educação profissional - Ao alcançar 5,4 milhões de matrículas de estudantes e profissionais em cursos técnicos e de formação inicial e continuada, entre 2011 e novembro de 2013, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) avalia, na próxima semana, essa trajetória e define quantas vagas serão abertas em 2014.

O encontro, de segunda-feira, 25, ao dia 27, reúne, em Brasília, os três segmentos responsáveis pelo andamento do Pronatec. O primeiro segmento vai informar que tipo de profissional o mercado precisa; o segundo vai dizer quantas vagas serão abertas nas diferentes modalidades de formação técnica e de educação inicial e continuada; e o terceiro é o governo federal, que coordena as ações do programa em todo o país. O evento terá cerca de 500 pessoas, que representam entidades, instituições, governos federal e estaduais e parceiros do programa.

Na segunda-feira, 25, serão realizadas três reuniões técnicas. A primeira será dos gestores nacionais e regionais dos serviços nacionais de aprendizagem; a segunda, da rede federal de educação profissional, e a terceira, dos gestores das redes estaduais e municipais.

No dia 26, o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antonio de Oliveira, vai falar sobre a execução do Pronatec de 2011 a 2013. No mesmo dia serão apresentados dois painéis: o Pronatec na perspectiva dos demandantes, que reúne na mesa de debates os ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, do Trabalho e Emprego, do Turismo, do Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior e o Conselho de Secretários Estaduais de Educação (Consed).

O segundo painel vai tratar do Pronatec na perspectiva dos ofertantes, com representantes da rede federal de educação profissional e tecnológica, das redes estaduais, o Senai e o Senac. Os painéis serão coordenados por Marcelo Feres, da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec). O último dia do encontro será dedicado a consolidar o pacto da oferta de vagas por unidade da Federação.

Cursos – O Pronatec oferece cursos técnicos com carga horária mínima de 800 horas. Esses cursos têm dois formatos: integrados ao ensino médio, modalidade em que o estudante combina o curso de nível médio com a educação profissional, e cursos técnicos subsequentes, que são dirigidos a pessoas que concluíram o ensino médio. O Catálogo Nacional de Cursos Técnicos do MEC registra 220 tipos de cursos técnicos.

O programa também oferece cursos de formação inicial e continuada (FIC), com duração mínima de 160 horas. Conforme o Guia do Pronatec, existem 644 cursos FIC. Outras opções são a Bolsa-Formação Trabalhador, que oferece cursos de curta duração, a partir de 160 horas de aula, para beneficiários do seguro-desemprego e dos programas de inclusão produtiva do governo federal; e a Bolsa-Formação Estudante, que compreende cursos técnicos, com mínimo de 800 horas, para alunos das redes públicas.

O encontro sobre o Pronatec será realizado no Centro Internacional de Convenções de Brasília, no Setor de Clubes Esportivos Sul, em Brasília, de 25 a 27 de novembro.

Ionice Lorenzoni
Fonte: MEC
Ensino Superior
ESA lança satélites que estudarão campo magnético da Terra
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 07:49 hs.
25/11/2013 - Foguete que integra missão Swarm foi lançado na sexta-feira, da Rússia.

Serão três satélites que farão um "check-up" dos sinais magnéticos da Terra.

A missão Swarm, formada por três satélites, foi lançada com sucesso na sexta-feira (22) a da base de Plesetsk (Rússia) com o objetivo de estudar os processos que ocorrem no interior da Terra e compreender melhor seu campo magnético que estaria se debilitando.

O lançamento aconteceu às 10h02 (hora de Brasília) a bordo de um foguete Rockot. Já a separação do três foguetes ocorreu uma hora e meia depois, a uma altitude de 490 km. O contato foi estabelecido com a estação Kiruna, na Suécia, e na estação Svalbard, na Noruega. A separação dos satélites era considerada uma das fases mais críticas.

Outro momento-chave será quando os três satélites desdobrarem seus polos, local onde estão localizados os sensores magnéticos. De acordo com a previsão, o primeiro deve realizar a ação por volta das 20h (em Brasília) e os outros dois ao longo da próxima madrugada.

Esta missão é controlada desde o Centro Europeu de Operações Espaciais da ESA, em Darmstadt (Alemanha), através da estação de acompanhamento de Kiruna.


Check-up da Terra
A missão Swarm medirá os sinais magnéticos emitidas pelo núcleo, o manto, a crosta, os oceanos, a ionosfera e a magnetosfera da Terra, e começará a enviar dados diários em três meses.

São três satélites idênticos, dois deles orbitarão em paralelo, decaindo de forma natural de uma altitude inicial de 460 a 300 quilômetros ao longo de quatro anos, e o terceiro se manterá a uma altitude de 530 quilômetros.

O campo magnético é como uma "enorme bolha que nos protege da radiação cósmica e das partículas carregadas que bombardeiam a Terra através do vento solar", informou a ESA em uma nota. Sem este escudo protetor, a atmosfera não existiria como tal e a vida no planeta seria praticamente impossível.

No entanto, ainda sob esta proteção, as tempestades solares e as partículas liberadas por elas podem eventualmente chegar à Terra e ocasionar, por exemplo, interrupções nas comunicações. O campo magnético terrestre se encontra em um estado de contínua evolução e sua intensidade varia constantemente.

Ultimamente, segundo a ESA, parece estar se debilitando de forma considerável (os especialistas falam de entre 10% e 15% nos últimos 150 anos).

Precisamente, a missão europeia ajudará a compreender melhor como funciona o planeta.
Fonte: Do G1, em São Paulo
Ensino Superior
Estudantes de SP relatam confusão para fazer a prova do Enade
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 07:45 hs.
25/11/2013 - Candidatos não tinham sala nem cartão de respostas no Mackenzie.

Inep afirma que universitários não serão prejudicados no exame.

Estudantes universitários que fizeram no domingo (24) o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) na sede da Universidade Mackenzie, em São Paulo, relataram muita confusão para realizar a prova. Segundo os alunos, não havia sala de prova, cadernos de resposta e lista de presença. Muitos registraram boletim de ocorrência no 78º DP para formalizar a situação. Pelo edital do Enade, quem não faz a prova pode sofrer punições e não conseguir se formar. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), no entanto, ninguém será prejudicado. Ao todo, 196 mil candidatos estão inscritos no Enade em todo o país.

A maioria dos prejudicados são estudantes do último ano do curso de enfermagem de várias universidades paulistas. Guilherme Pimenta Presotto, 23 anos, aluno da Faculdade Oswaldo Cruz, diz que precisou trocar de prédio por três vezes e acabou fazendo a prova em uma sala onde haviam outros alunos. “Comecei a prova com uma hora de atraso, e não tinha cartão para eu anotar as respostas. Tive de responder no próprio caderno de questões e assinar uma folha em branco para marcar minha presença”, afirmou. “Estou preocupado, corro o risco de não colar grau na faculdade.”

Bárbara Borsoi Francelino, aluna de enfermagem da Universidade Mogi das Cruzes (UMC), registrou a confusão entre os estudantes e a coordenação de provas. “Eu tinha o cartão de respostas, mas só pude responder as primeiras questões”.

Karina Godoy, de 29 anos, também da UMC) disse que cada fiscal de prova tinha uma orientação diferente. “Fiz a prova em outra sala e a fiscal disse que eu só poderia responder da primeira à décima questão”, afirmou. “Foi uma dor de cabeça terrível”.

De acordo com a assessoria de imprensa do Inep, a confusão aconteceu porque há mais de uma entrada na universidade e alguns estudantes foram para a portaria errada. A coordenação do Enade percebeu o problema e tentou realocar os alunos. Segundo o órgão, os estudantes não serão prejudicados, pois, apesar de não terem feito a prova, consta na ata que eles compareceram ao exame.

A Universidade Presbiteriana Mackenzie afirmou que não tem responsabilidade no caso porque apenas cede o espaço para a realização da prova.

O que é o Enade
O Enade integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). O objetivo do exame é aferir o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação ao conteúdo programático, suas habilidades e competências. A participação de quem foi inscrito é obrigatória. A participação do estudante habilitado ao Enade é condição indispensável ao registro da regularidade no histórico escolar, assim como à expedição do diploma pela instituição de ensino superior.

Nesta edição do exame, foi avaliado o desempenho de estudantes de bacharelado em agronomia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social e zootecnia. O exame também avaliará os cursos de tecnólogo em agronegócio, gestão hospitalar, gestão ambiental e radiologia.

Paulo Guilherme
Fonte: Do G1, em São Paulo
Ensino Superior
Estudantes realizam o Enade e prova divide opiniões de alunos
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:41 hs.
25/11/2013 - Objetivo da prova é contribuir para uma melhor avaliação dos cursos de graduação do país

Terminou às 17h de domingo o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), aplicado em todos os estados do Brasil. Segundo o Inep, 196,8 mil estudantes concluintes, matriculados em 904 instituições de educação superior, prestaram as provas. O exame teve início às 13h.

Para o estudante de Medicina da faculdade Católica, André Alves, de 24 anos, a prova foi bem elaborada. "No caso de medicina, teve grande grau de dificuldade, mas acho bom porque isso valoriza o curso e me ajuda na preparação para a residência", disse.

Já a estudante de odontologia Heloisa Pires Carneiro de Ornelas, de 28 anos, achou que a prova estava condizente com o conteúdo lecionado em sala de aula. Heloisa fez curso preparatório e exercícios voltados para o Enade para se preparar. "Só acho que precisava de mais tempo", lamentou.

Quem saiu antes de uma hora do início da aplicação ficou impedido de assinar a lista de presença e será considerado ausente. E só quem saiu após às 16h pôde levar o caderno de provas.

O Enade integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), criado em 2004. O objetivo é contribuir para a avaliação dos cursos de graduação por meio da verificação das competências, habilidades e conhecimentos desenvolvidos pelos estudantes em sua formação, de acordo com as características do perfil profissional exigido.

Thiago Soares
Fonte: Correio Braziliense / DF
Ensino Superior
Estudantes reclamam do Enade e fazem protesto antes de prova em SC
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:24 hs.
25/11/2013 - Estudantes universitários que prestam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em Florianópolis (SC) reclamaram da obrigatoriedade da prova neste domingo. Até mesmo um protesto foi realizado diante de um dos locais do exame.

Neste domingo, o campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) registrou movimentação intensa desde o final da manhã. A chuva que atingia a capital catarinense fez com que muitos estudantes antecipassem a chegada aos locais de prova. Apesar da movimentação, não houve registros de maiores atrasos.

A aluna do curso de Enfermagem da UFSC, Mariana Viana, 24 anos, disse que o exame não serviria para demonstrar a realidade das instituições brasileiras. "Cheguei cedo e vim só porque caso contrário não terei o diploma", disse. "Esse exame não avalia nada. É mais ima forma de mascarar a situação do ensino superior do Brasil".

Pedindo para não ter o nome completo divulgado, o estudante Márcio, também da UFSC, disse que o Enade serviria para "propaganda política". "Ano que vem tem eleições e vão mostrar números para falar que tudo está melhorando", disse. "Mas vamos fazer o quê? Reclamar de que jeito se nesse País até o voto é obrigatório".

Manifestação

Uma pequena manifestação contra o Enade foi realizada por estudantes do curso de Serviço Social antes do exame. Alunos entregaram panfletos aos que iriam prestar a prova nas dependências da UFSC. O material, assinado pela Executiva Nacional dos Estudantes de Serviço Social (Enesso) pede o fim o exame e acusa os sistemas de avaliação criados pelo governo federal de transformar a educação em mercadoria.

"Questionamos e somos contra o ENADE, pois o método transforma nosso sistema educacional em uma mercadoria, algo extremamente capitalista", afirmou Bruna Veiga de Morais, aluna de Serviço Social e uma das estudantes que entregavam panfletos antes do início da prova. "O exame não demostra a atual situação da educação e serve apenas para um ranking, que será usado para distribuição de verba".

Na opinião de Bruna, o Enade não avaliaria questões mais complexas nas universidades. "Ele não demostram questão de acesso, permanência e métodos de aprendizagem", disse. "Não contempla as particularidades de cada instituição. Com esse método e rankings, as primeiras sempre serão as primeiras e as demais não irão evoluir".

O ato, chamado de Dia Nacional de Mobilização contra o Enade, foi apoiado por instituições como federações de estudantes de cursos de Nutrição e Arquitetura, e também pelo Conselho Federal do Serviço Social.
Fonte: Macaé News - NOTÍCIAS
Ensino Superior
FAAG receberá comitiva de Moçambique para apresentação do sistema de ensino
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:53 hs.
25/11/2013 - África e Europa têm sido as fronteiras que a Faculdade de Agudos (FAAG) tem conquistado nos últimos anos. E o trabalho de ampliação de parcerias continua. Entre os dias 25 e 27 de novembro, a diretoria da Faculdade recebe uma comitiva do governo de Moçambique, no campus, em Agudos, para discutir sobre práticas de educação e apresentar uma proposta pedagógica específica para o país.

A FAAG desenvolve desde 2010 o projeto de Sistema de Ensino Inovar, que está sendo implantado em Luanda, capital de Angola, gradativamente. Até o ano que vem, cerca de 10.000 educadores utilizarão o material, que contempla alunos do berçário (4 meses de idade) até o ensino secundário (15 anos).

“A ideia é expandir nossos projetos e consultorias em educação na África. Por isso, vamos apresentar neste encontro nossa estrutura e propostas para Moçambique. São conversas iniciais, justamente para estreitar o relacionamento a fim de tornar nossos projetos possíveis naquele país”, explica André Cortucci, gerente administrativo da instituição.

A visita, na próxima semana, contará com a presença do ministro da Educação de Moçambique, Augusto Jone, do diretor nacional do Ensino Secundário, Ivaldo Quincardete, e da diretora nacional do Ensino Primário, Antuia Mogne Soverano. Também estarão presentes, representantes do gabinete presidencial do governo moçambicano.

No continente africano, a FAAG atua há seis anos com pós-graduações e consultorias destinadas a vice-governadores, chefes de governo de Angola e a empresas locais. O mesmo corpo docente que leciona no campus de Agudos ministra as aulas na África. A Faculdade também recebe alunos angolanos para cursar o ensino superior.

Desde 2012 a FAAG tem convênio com a Universidade Fernando Pessoa, localizada em Porto, Portugal. A parceria permite aos seus alunos e ex-alunos de graduação e pós-graduação, assim como a outros interessados, a obter o título de mestrado ou doutorado pela universidade portuguesa.

Entre os dias 13 e 17 de outubro, a mantenedora da FAAG, Márcia Regina Vazzoler, esteve em Praia, capital de Cabo Verde, na África, para apresentar a proposta do sistema de ensino desenvolvido pela instituição. Durante o encontro, se reuniu com o ministro das Relações Exteriores de Cabo Verde, Jorge Alberto da Silva Borges, com a ministra de Educação e Desporto, Fernanda Marques, e com as coordenadoras do ensino fundamental e médio, Margarida Santos, e da educação infantil, Teresa Lima.
Fonte: Jornal da Cidade - Bauru - Bauru/SP
Ensino Superior
Feira do Livro de Brasília deve receber 10 mil visitantes por dia
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:43 hs.
25/11/2013 - A edição deste ano trata-se de uma retomada, pois a última edição ocorreu em 2011

Brasília - "Leitura ferve a alma, queima a ignorância", é o que diz a poesia Cordel do Livro e da Leitura, de Gustavo Dourado, um dos expositores da 31ª Feira do Livro de Brasília. A partir deste final de semana até o dia 1º de dezembro, 62 expositores e mais de 40 autores estarão a disposição do público em estrutura montada ao lado da Biblioteca Nacional de Brasília, no centro da cidade, que recebeu o nome Cidade da Leitura. Para esta edição são esperadas 10 mil pessoas por dia. Além de lançamentos e palestras estão previstos saraus, teatros e contações de história. Todas as atividades são gratuitas e a programação pode ser conferida no site da feira.

A edição deste ano trata-se de uma retomada, pois a última edição ocorreu em 2011. Em 2012, a feira deu espaço para a 1ª Bienal do Livro. Em 2013, a feira recebe mais aportes do governo do Distrito Federal (GDF) e tem o projeto revisto. Ao todo, segundo a organização, serão R$ 1,6 milhão, sendo R$ 1,4 milhão do GDF e os demais R$ 200 mil da Câmara do Livro. A maior parte dos recursos será voltado para a visita e aquisição de livros por escolas públicas do DF (R$ 900 mil).

O tema deste ano é Leitura, um Direito Fundamental e o foco é nos autores e artistas do DF. Dourado é um deles e participa desde a primeira edição da feira. Ele é professor, escritor e poeta, além de presidente da Academia Taguatinguense de Letras, reconhecida este ano como patrimônio cultural, material e imaterial do DF. "O retorno [da feira] traz também um novo movimento de escritores", diz. "Em tempos de valorização da literatura internacional, somos a resistência da cultura brasileira e da literatura infanto-juvenil".

Também parte da Academia Taguatinguense de Letras, o jornalista e escritor Heron Luiz dos Santos vê a feira como uma oportunidade de divulgar o trabalho e fazer contatos. Ele é autor de dois livros: Pássaro Ferido - Contos e Poesias e Mário Eugênio - O Gogó das Sete, cujo relançamento ocorre na feira.

A leitura o acompanha desde os 9 anos, com Monteiro Lobato. Os autores que o influenciaram "são tantos que seria injusto nomeá-los". Ele conta que foi na academia que ganhou projeção com a escrita e que deve à feira grandes amizades na literatura.

No domingo (24), mesmo com a tarde chuvosa, as peças de teatro e as contações de história estavam com as cadeiras todas ocupadas. Os stands também contavam com adultos, jovens e crianças em busca de livros. Edenice José dos Santos escolheu o que vai levar: Cinquenta Tons de Cinza, da escritora britânica E.L. James. Ela é tia avó de Thallyta, de 9 anos e Rayssa, de 15. Tahllyta não lembra do último livro que leu, mas garantiu que sairá da feira com algo para ler nas férias. Já Rayssa tem que ser afastada da literatura para se concentrar nos estudos. "Se deixar, ela fica lendo e não estuda", diz Edenice. Nas férias, Rayssa tira o atraso e lê, em um mês, seis ou sete livros.

À noite, a atração será a palestra do médico Alexandre Feldman, autor do livro Enxaqueca, Só Tem Quem Quer, com mais de 20 mil cópias vendidas. No livro, ele ensina o que deve ser feito para controlar as crises e não tornar-se refém de medicamentos. As principais orientações envolvem mudanças na alimentação e no sono. O autor também vai dar dicas de como escrever um livro médico. Ele adianta que o principal segredo é não guardar informações do leitor. "Muitos autores do campo médico ficam com medo de ensinar tudo e perder os pacientes. Esse medo prejudica a qualidade da obra", diz.

Também entre as atrações da feira está o Espaço do Autor, onde tanto autores convidados quanto outros escritores podem apresentar as próprias obras. "Temos algumas atrações marcadas, mas uma grade com muitas janelas, para que os autores participem", diz o coordenador da Cidade da Leitura, Thelmo Ribeiro, da Câmara do Livro.

Agência Brasil
Fonte: Correio Braziliense / DF
Ensino Superior
Genética Vegetal: BRS Isis,nova cultivar de uva de mesa resistente ao míldio
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:19 hs.
25/11/2013 - A Embrapa lança na próxima terça-feira, 26, a cultivar BRS Isis, uva de mesa vermelha, sem sementes e resistente ao míldio, a mais danosa doença da videira em condições tropicais brasileiras. O lançamento acontece em evento com início às 18h30, no auditório da biblioteca do campus Petrolina da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Petrolina (PE). Na quarta-feira, 27, pela manhã, produtores, técnicos e demais interessados terão a oportunidade de verificar o comportamento da variedade em campo, na Fazenda Brasiluvas – Labrunier, Grupo JD, em Curaçá (BA).

A resistência da BRS Isis ao míldio pode significar uma redução no número de aplicações de fungicidas tradicionalmente adotado para uvas finas de mesa, ou seja, a cultivar se enquadra na perspectiva de promoção da agro sustentabilidade – conceito dentre os prioritários para o Programa de Melhoramento Genético de Uva da Embrapa, no qual a nova variedade foi desenvolvida. Segundo a pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho Patricia Ritschel, uma das coordenadoras do Programa de Melhoramento, a resistência da BRS Isis foi registrada em diversos experimentos. Em avaliações de campo, realizadas em 2008, na Estação Experimental de Viticultura Tropical (EVT) da Embrapa Uva e Vinho, em Jales (SP), sob condições de temperatura e umidade favoráveis à ocorrência da doença, a nova cultivar recebeu nota como altamente resistente. O mesmo sucedeu-se em teste realizado em casas de vegetação, também em ambiente propício à disseminação de míldio, de maio a junho deste ano, durante 57 dias de avaliação.

Outro atributo da BRS Isis é o tamanho grande de baga (18,5 milímetros de diâmetro por 28,5 milímetros de comprimento), “acima do mínimo exigido pelo mercado internacional”, assinala Patricia. Ela destaca que esse tamanho é obtido naturalmente, dispensando o uso de giberelina, um hormônio de crescimento – ou seja, também aqui a nova variedade alinha-se à perspectiva de agro sustentabilidade.

Afora isso, a nova variedade é extremamente produtiva, ressalta a pesquisadora: no Vale do São Francisco, no Nordeste do Brasil, a BRS Isis alcançou produtividade de 26 toneladas por hectare por safra, em quatro colheitas sucessivas. Isso se traduz em uma produção de 52 toneladas por hectare anuais, diante da possibilidade de se fazer, na região, duas safras da cultivar por ano. “E com um nível de doçura bastante bom – de 16º a 21º brix – e textura crocante”, acrescenta Patricia.

Outros dados técnicos

A BRS Isis adapta-se bem às condições de clima tropical do Brasil. Áreas de validação da cultivar foram implantadas em Curaçá (BA), em Petrolina (PE), em Jaíba (MG) e em Elias Fausto (SP).

Ela também tem altos níveis de compostos fenólicos, presentes naturalmente na uva, e que têm sido destacados na literatura especializada por contribuir na prevenção de doenças cardiovasculares. Nesse sentido, foi feita análise do índice de polifenóis totais (IPT) e de antocianinas totais na película das variedades BRS Isis e Crimson Seedless, ambas produzidas no Vale do Submédio São Francisco. A nova cultivar apresentou cerca de duas vezes e meia mais antocianinas totais, o que se atribui à sua cor mais escura e uniforme, enquanto o IPT foi cerca de 30% superior em comparação à Crimson Seedless.

Material propagativo de BRS Isis poderá ser obtido, sob encomenda, para plantio em 2014, junto aos viveiristas licenciados pela Embrapa (Vitácea, pelo telefone (35) 9903-4726; Beifiur, pelo (54) 3388-9060; Rasip, (54) 3231-4700; e Clone, (41) 3253-2940. Mais informações junto à Embrapa Produtos e Mercado, pelo e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou pelo telefone (19) 3749-8888.

Circuito de divulgação

O lançamento da BRS Isis integrará um circuito de divulgação, no Vale do Submédio São Francisco, do Programa de Melhoramento Genético de Uva da Embrapa – cuja coordenação é compartilhada pelo pesquisador João Dimas Garcia Maia, da EVT.

O evento em que a cultivar será lançada, na terça-feira, 26, no auditório da biblioteca do campus Petrolina da Univasf, será o Seminário técnico Novas cultivares brasileiras de uva de mesa no semiárido. Na quarta, 27, a programação inicia-se com manhã de campo sobre a nova variedade na Fazenda Brasiluvas – Labrunier, Grupo JD, em Curaçá (BA). À noite, também no auditório da biblioteca do campus Petrolina da Univasf, acontece o Seminário técnico Novas cultivares brasileiras de uva para suco no semiárido. No dia 28, na Fazenda Queiróz Galvão, em Petrolina, ocorre manhã de campo sobre a cultivar BRS Magna, lançada em novembro do ano passado. Para todas as atividades as inscrições devem ser feitas no site da Embrapa Uva e Vinho, através do link www.cnpuv.embrapa.br/eventos ou por telefone (54) 3455-8087, com Mônica, ou (87) 3861-4442, com Gilberto. Para as manhãs de campo as vagas são restritas.

Giovani Antonio Capra, Embrapa Uva e Vinho
Fonte: Diário de São Carlos
Ensino Superior
Instituto Butantan oferece curso de pós em Toxinologia
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:45 hs.
25/11/2013 - O Instituto Butantan está com inscrições abertas, até o dia 29 de novembro, para o mestrado acadêmico e o doutorado direto em Toxinologia. Direcionado aos profissionais das áreas de Ciências Biológicas, Biomédicas, Química e afins, o curso abrange estudos sobre venenos e toxinas de origem animal, vegetal e microbiana, incluindo o desenvolvimento de fármacos e da biologia dos animais peçonhentos ou venenosos.

O programa engloba estudos nas áreas de ecologia, fisiologia, morfologia, bioquímica, biofísica, farmacologia, imunologia e biologia celular e molecular. As linhas de pesquisas envolvem os temas: Toxinologia estrutural; Envenenamento e terapêutica; Toxinas e sistemas biológicos e Bioprospecção e desenvolvimento.

O processo seletivo é composto por prova escrita, entrevista sobre o currículo e o domínio do projeto e análise de currículo. Somente os candidatos que alcançarem nota mínima 5,0 na prova escrita serão convocados para a entrevista.

Além da documentação necessária, currículo e projeto de pesquisa a ser desenvolvido, o candidato deverá apresentar, no momento da inscrição, o comprovante de proficiência em língua inglesa para garantir seu interesse no programa de pós.

As inscrições são recebidas na secretaria da pós-graduação do Instituto Butantan, que fica na Avenida Vital Brasil, 1500, em São Paulo.

Mais informações sobre o programa http://posgrad.butantan.gov.br/

Agência FAPESP
Fonte: Planeta Universitário
Ensino Superior
Parceria em favor do crescimento energético
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:12 hs.
25/11/2013 - Duas potências em franco desenvolvimento, Brasil e China têm se valido de importante acordo científico em busca de novos passos em inovação tecnológica. Fruto de uma cooperação acadêmica entre o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ), maior centro de pesquisa de engenharia da América Latina, e a Universidade de Tsinghua, principal universidade chinesa na mesma área, o Centro China-Brasil de Mudança Climática e Tecnologias Inovadoras para Energia já alcança os primeiros resultados em prol de um dos maiores desafios do século 21: conciliar a produção de energia e a preservação da vida na Terra.

Estabelecido em janeiro de 2009 com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), o centro, sediado na Universidade de Tsinghua, em Pequim, onde mantém um escritório para coordenar atividades e estabelecer contatos com empresas potencialmente interessadas nas tecnologias, desenvolve atualmente seis projetos que vão da cooperação tecnológica e científica à formação de recursos humanos por meio do intercâmbio de pesquisadores, alunos e professores.

As iniciativas incluem veículos híbridos, o projeto Cidades Sustentáveis, a continuidade da cooperação nas áreas de biocombustíveis (a de biodiesel e a de etanol de segunda e terceira gerações já estão em andamento) e a expansão da cooperação em energia solar e eólica (veja quadro). Além disso, um relatório sobre tecnologia e inovação em três setores industriais chineses encomendado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República foi concluído em meados de 2011.

Entre o fim de setembro e o início de outubro, o centro abordou as mais recentes perspectivas para pesquisas de biocombustíveis durante o 7º Simpósio Mundial de Bioenergia (World Bionergy Symposium 2013). O evento contou com visitas aos laboratórios da Coppe — a bordo do ônibus a hidrogênio H2+2, os pesquisadores conheceram o novo Laboratório Bioetanol, a planta de biodiesel, o tanque oceânico e o Maglev Cobra, trem de levitação magnética da Coppe. Na sequência, um grupo com 22 pesquisadores foi até Cruz Alta (SP) para conhecer uma usina de produção de álcool. Outro grupo, com nove palestrantes, visitou uma fábrica de biodiesel da Petrobras em Montes Claros, no norte de Minas Gerais.

“O projeto mais avançado é o teste do processo enzimático para biodiesel, tecnologia desenvolvida pela Universidade de Tsinghua que usa esse método em vez do procedimento químico de produção. Esse processo tem algumas vantagens, sobretudo na qualidade do produto, feito a partir de óleos mais ácidos”, explica Ilan Cuperstein. Representante da Coppe/UFRJ no centro, Cuperstein trabalhou em Pequim durante três anos e aponta outros projetos, como os de energia solar, solar-térmica e fotovoltaica, como as principais iniciativas em andamento.

Um dos primeiros projetos do Centro China-Brasil, a captura e armazenamento de carbono (CSS), contudo, não foi adiante por falta de suporte financeiro da empresa MPX, parte do conglomerado do empresário Eike Batista, uma das apoiadoras do centro. “A ideia era apontar parceiros tanto no mercado quanto na academia chinesa para a MPX desenvolver o primeiro projeto de CCS em plantas de carvão da América Latina. A visita gerou dois relatórios com detalhes sobre iniciativas desenvolvidas na China e recomendações de parceiros para cooperação”, conta Cuperstein.

Engenharia oceânica

Uma segunda pesquisa em estágio avançado é a produção de petróleo em águas profundas, em cooperação com a China University of Petroleum (CUP). Sete alunos chineses integram a Coppe/UFRJ para obtenção de doutorado no programa de engenharia oceânica. “O projeto terá especialmente teste de equipamentos usados em águas profundas simulando condições de pressão, temperatura e estresse”, aponta Cuperstein.

A previsão é que os testes ocorram num prazo de cinco anos. “Alguns pesquisadores do país passaram curtas temporadas em Pequim. Os cursos da CUP estão abertos aos brasileiros”, acrescenta o pesquisador, ressaltando que os resultados alcançados pelo centro são múltiplos. A equipe do Centro China-Brasil é composta por três pessoas na parte administrativa (duas no Brasil e uma na China) e quatro professores no conselho executivo. Outros 10 professores e 15 pesquisadores trabalham em projetos distribuídos entre as duas nações.

Fonte: Correio Braziliense
Fonte: ABEGÁS - NOTÍCIAS
Ensino Superior
Pesquisa da UFSCar avalia protocolo de alongamento de músculo peitoral relacionado à tendinite do ombro
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:18 hs.
25/11/2013 - O Departamento de Fisioterapia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está desenvolvendo pesquisa sobre o efeito de protocolo de alongamento do músculo peitoral menor em parceria com a Ohio State University (OSU), sediada nos Estados Unidos. O projeto de pesquisa – coordenado pela professora Paula Rezende Camargo e intitulado "Effects of pectoralis minor stretching on resting muscle length and scapular kinematics during evolution of the arm in symptomatics subjects and people with shoulder pain" – foi aprovado em chamada da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) lançada em março deste ano para apoio a propostas de intercâmbio entre pesquisadores do Estado de São Paulo e colegas da universidade norte-americana. Além do projeto da UFSCar, outras 23 propostas foram aprovadas.

A pesquisa de Camargo – desenvolvida em parceria com John David Borstad, professor da OSU – visa avaliar o efeito de protocolo de alongamento do músculo peitoral menor. A pesquisadora da UFSCar explica que o encurtamento do músculo peitoral menor altera a cinemática da escápula – osso localizado na parte superior das costas - ou seja, interfere na movimentação normal desse osso. Esse encurtamento pode causar dor e a chamada síndrome do impacto, também conhecida popularmente como tendinite do ombro.

O protocolo de alongamento, desenvolvido com base na literatura científica, está sendo aplicado em pessoas com dor e sem dor, já que a pesquisa objetiva avaliar os efeitos do alongamento tanto em relação ao comprimento do músculo quanto em relação à diminuição da dor. Ele consiste em quatro repetições de um minuto de alongamento, feito todos os dias durante seis semanas. "Iniciamos a pesquisa no começo do ano e, até agora, foi possível perceber que o protocolo de alongamento aplicado traz a melhora da dor, ainda que, por enquanto, ele não tenha mostrado resultados efetivos no comprimento do músculo", relata Camargo.

"É bastante interessante trabalhar com o professor Borstad, que desenvolveu uma excelente técnica para avaliar os protocolos de alongamento, e, também, promover a internacionalização da pesquisa. Através dessa chamada, será possível que o professor ministre um curso no Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia da UFSCar, dividindo conosco sua experiência nessa área. Além disso, essa aproximação com a universidade de Ohio facilita os mestrados e doutorados sanduíche dos nossos estudantes e também nos dá fôlego para, futuramente, iniciar a análise da parte muscular posterior, na avaliação da cinemática do ombro", avalia a pesquisadora.
Fonte: Diário de São Carlos - UNIVERSIDADES
Ensino Superior
Quatro mil piauienses fizeram o Enade 2013
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:58 hs.
25/11/2013 - Cerca de 4 mil piauienses realizaram ontem a prova do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes- Enade 2013 O exame integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - Sinaes e tem por objetivo avaliar o rendimento dos alunos dos cursos de graduação. As provas foram aplicadas de 12h às 16h, horário do Piauí.

Desde quando foi criado em 2004, a forma de avaliação do Enade é contestada por diversas instituições. Elas acreditam que o exame não é capaz de avaliar se realmente o ensino é feito com qualidade. No domingo, durante a realização do Enade, a Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social, a Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social, o Conselho Nacional e Conselho Regionais dos Assistentes Sociais realizaram manifestações em frente aos locais de prova de todo país no intuito de deixar claro que o Enade não representa a categoria. Em Teresina, a manifestação ocorreu em frente ao Instituto Federal do Piauí - IFPI.

O estudante Igor Santos, coordenador nacional de combate às opressões da Executiva Nacional dos Estudantes de Serviço Social, explica que, atualmente, o exame serve apenas como forma de propaganda para as instituições particulares de ensino superior.

"Quando as faculdades tiram uma nota boa, elas espalham uma propagando enorme pela cidade, com isso, a faculdade aumenta o valor da mensalidade, pois se cria a ilusão de que o ensino naquela instituição é de boa qualidade. Mas o que acontece é que,muitas vezes, não atendem ao critérios da educação superior baseados no ensino, pesquisa e extensão", disse Igor.

O estudante afirma que existe uma proposta por parte das entidades que não aprovam o Enade. "Nós temos uma proposta de avaliação dos cursos que consistem: os próprios profissionais das áreas avaliadas é que devem elaboram a prova, porque só quem conhece o projeto éticos, políticos da profissão é que tem competência para fazer isso. É preciso que exista uma prova que seja capaz de avaliar não só o rendimento dos alunos, mas a quantidade de livros na biblioteca, que não é suficiente e, através desse modelo de avaliação isso não acontece. O exame precisa avaliar a formação dos profissionais e trazer incentivo a formação continuada. Hoje, a dinâmica da educação exige que haja profissionais mestres e doutores. Além disso, é preciso ter mais pesquisa e extensão nas universidades, e todo esse conjunto tem que ser avaliado também", explicou.

Nesta edição do exame, será avaliou o desempenho de 196.855 estudantes do Brasil. Em Teresina, 880 alunos dos cinco campi na Universidade Federal do Piauí, a maior instituição de ensino superior do Estado, foram convocados para fazer o Enade. Os cursos são avaliados pelo Enade de três em três anos. Em 2013, as graduações avaliadas foram Enfermagem, Agronomia, Farmácia, Medicina, Veterinária, Nutrição, Odontologia, Serviço Social, Biomedicina, Fisioterapia, Agronomia, Veterinária e Zootecnia.

A professora Teresa Christina Honório, pesquisadora institucional da UFPI, explica que os alunos selecionados pelo Enade são aqueles concludentes ou que tenham cursado 80% dos créditos da matriz curricular ou ainda estudantes de cursos superiores de tecnologia que tiverem concluído mais de 75% da carga horária mínima do currículo até o fim do período de inscrição. "O exame busca saber se as diretrizes dos cursos superiores estão sendo contemplados nas universidades. Além disso, o aluno responde a questões especificas de cada curso de formação", disse. Caso o aluno não tenha comparecido para fazer a prova, ele se tornará irregular junto ao INEP e terá dificuldades para receber o diploma depois que concluir o curso.
Fonte: Diário do Povo do Piauí - Teresina/PI
Ensino Superior
R$ 10 milhões desviados da merenda
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:24 hs.
25/11/2013 - CGU aponta que 35% dos recursos destinados à alimentação e 45% ao transporte escolar se perdem no caminho

Auditoria feita pela Controladoria-Geral da União (CGU) mostra que nem mesmo recursos destinados à merenda de estudantes, reforma e construção de escolas, creches e contratação de serviço de transporte público escapam de fraudes praticadas por agentes públicos. Com base nas fiscalizações por sorteio feitas no ano passado sobre a aplicação dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) — autarquia federal responsável pela execução de políticas educacionais do Ministério da Educação (MEC) — o documento aponta que em 34,83% dos municípios fiscalizados foram encontradas irregularidades nos processos licitatórios para compra de merenda.

Levantamento do próprio MEC revela que apenas em 2012 e 2013 foram aplicados indevidamente R$ 10 milhões destinados à merenda escolar.

No transporte dos estudantes, a situação é ainda pior: em cerca de 44,71% das cidades foram apontados os mesmos problemas. Além das fraudes na concorrência, o estudo mostra que em 54,9% das cidades os veículos que transportam as crianças não estão em conformidade com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e, em 26,47%, os motoristas não possuem habilitação.

O maior alvo de desvios é o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), gerido pelo FNDE, usado para pagamento do salário dos professores, custeio de programas de melhoria da qualidade da educação, aquisição de equipamentos, construção e manutenção das escolas. Em 73,58% das cidades foram encontrados problemas como restrição à competitividade, montagem, direcionamento e simulação de processos licitatórios na compra de produtos e serviços custeados pelo Fundeb.

Este ano, já foram instauradas 47 Tomadas de Contas Especiais (TCE’s), procedimento exclusivo para recuperação de crédito depois de apurada uma denúncia de desvio referentes ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), com débitos que somam R$ 6,5 milhões. No ano passado, foram 55 TCEs que envolvem débitos da ordem de R$ 3, 6 milhões só para merenda. Ao todo, foram 305 procedimentos para apurar desvios dos programas do FNDE em 2012. No entanto, esses valores e as irregularidades podem ser ainda maiores já que o FNDE tem um passivo de 102,1 mil transferências e convênios não analisados, em função do tamanho reduzido da equipe de auditores e fiscais. Alguns deles foram celebrados em 1994.

Prestação de contas
Por meio da assessoria de imprensa, o FNDE informou que foi implantado no ano passado um sistema de prestação de contas on-line para dificultar fraudes na execução dos recursos e acrescentou que os gestores municipais e estaduais de educação respondem perante os órgãos de controle, como o Tribunal de Contas da União (TCU), os tribunais de contas dos estados e municípios e a CGU.

73, 58%
Percentual de cidades que apresentam problemas nos serviços custeados pelo Fundeb

Alessandra Mello

Maria Clara Prates
Fonte: Correio Brazilienese / DF
Ensino Superior
Super Estágios
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:39 hs.
25/11/2013 - ENSINO MÉDIO

Cód.: 5658 / Empresa: pública / A partir do 2° ano / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 203 + auxílio transp. / 4 horas diárias – manhã / Atividades: Digitar documentos, atender telefone, arquivar documentos, entregar documentos, e realizar cópia de documentos.

Cód.: 5647 / Empresa: pública / entre o 1° e 2° ano / Vaga: 1 / Ala Sul/ Bolsa: R$ 290 + auxílio transp. / 6 horas diárias – tarde / Atividades: auxiliar nas rotinas administrativas, entrega e busca de documentos, atendimento ao público.

Cód.: 5697 / 5695 / Empresa: pública / A partir do 2° ano / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 203 + auxílio transp. / 4 horas diárias – manhã / Atividades: digitar documentos, atender telefone, arquivar documentos, entregar documentos, e realizar cópia de documentos.

Cód.: 5594 / 5597 / Empresa: pública / A partir do 2° ano / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 203 + auxílio transp. / 4 horas diárias – manhã / Atividades: digitar documentos, atender telefone, arquivar, entregar e copiar documentos.

ENSINO SUPERIOR

ADMINISTRAÇÃO

Cód.: 5630 / Empresa: pública / A partir do 4° período / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – tarde / Atividades: redação de documentos oficiais; atender demandas de telefones, e-mails; entregar documentos oficiais; organizar arquivo; organizar treinamentos.

ADMINISTRAÇÃO

Cód.: 5701 / Empresa: pública / A partir do 2° ano / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – tarde / Atividades: auxiliar nos cadastro administrativo, cadastro de documentos, organizando setores, criação de documentos oficiais.


ADMINSTRAÇÃO / ARQUIVOLOGIA / BIBLIOTECONOMIA

Cód.: 5415 / Empresa: pública / A partir do 2º período / Vaga: 5 / Ala Norte/ Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – manhã ou tarde / Atividades: organização dos arquivos; controle da documentação; organização dos documentos/processos para envio ao protocolo geral.

ADMINISTRAÇÃO / CIÊNCIAS CONTÁBEIS / CIÊNCIAS ECONOMICAS

Cód.: 5715 / Empresa: pública / A partir do 2° período / Vaga: 1 / Ala Sul/ Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – manhã / Atividades: conferência de planilhas orçamentárias, controle interno de expedientes.

ADMINISTRAÇÃO / SECRETARIADO EXECUTIVO

Cód.: 5676 / Empresa: pública / A partir do 4° período / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – tarde / Atividades: operação dos sistemas interativos da Anatel, análise de documentos como memorandos, ofícios, informes técnicos, atos, instrução de processos.

BIBLIOTECONOMIA

Cód.: 4461 / Empresa: pública / A partir do 2º período / Vaga: 1 / Setor Comercial Sul, / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp./ 6 horas diárias – manhã ou tarde / Atividades; atuar na biblioteca da empresa; realizar atendimento ao usuário (serviço de referências bibliográficas, empréstimos, devoluções, reservas e envio via malote).

COMUNICAÇÃO SOCIAL

Cód.: 4718 / Empresa: pública / entre o 2º e o 8º período / Vaga: 1 / Ala Norte / Bolsa: R$ 364 + auxílio transp.. / 4 horas diárias – manhã / Conhecimentos básicos: Corel Draw, Illustrator, Photoshop e Pacote Office; apresentar uma boa redação; saber utilizar navegadores Web.

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO / ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO / SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Cód.: 5709 / Empresa: pública / A partir do 2° ano / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – manhã ou tarde / Atividades: manutenção de hardware e software de microcomputadores; controle de depósito de equipamentos e suprimentos de informática.

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO / PROCESSAMENTO DE DADOS

Cód.: 5253 /5254 / Empresa: pública / A partir do 5º período / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – manhã / Atividades: desenvolvimento de sistemas usando Java e PHP; manutenção e criação de banco de dados.

CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Cód.: 5711 / Empresa: pública / A partir do 5° período / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – tarde / Atividades: análise da movimentação diária, com execução de documentos.

DIREITO

Cód.: 5698 / Empresa: pública / A partir do 2° período / Vaga: 1 / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – tarde / Atividades: recebimento de processos administrativos, interpretação de textos e seleção de materiais por nível de importância.

ENGENHARIA ELÉTRICA

Cód.: 4788 / Empresa: pública / A partir do 8º período / Vaga: 1 / Ala Norte / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – manhã ou tarde / conhecimentos: eletromagnetismo, sistema de comunicações analógicas e digitais; circuitos elétricos, antenas, propagação eletromagnética e sistemas lineares / conhecimentos de informática; Excel avançado; computação para engenharia; Autocad, MS Project / língua: Inglês (avançado), Espanhol (Básico).

ENGENHARIAS DE REDES / ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES / REDES DE COMPUTADORES

Cód.: 5549 / Empresa: pública / A partir do 5° período / Vaga: 1 / Ala Sul / Bolsa: R$ 550 + auxílio transp. / 4 horas diárias – tarde / Atividades: apoio a gerenciamento de rede; apoio ao suporte de integração de ferramentas de gerência; apoio a controle de indicadores de gerência.

ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÃO / ENGENHARIA DE REDES

Cód.: 5318 / 5319 / Empresa: pública / A partir do 5º período / Vaga: 1 / Ala Norte / Bolsa: R$ 364 + auxílio transp. / 4 horas diárias – tarde / Atividades: elaboração e análises de planilhas em Excel; elaboração de textos e correspondências afeitos à área de espectro; estudos de regulamentações de telecomunicações; acompanhamento de projetos da área; Apoio em trabalhos técnicos de engenharia e regulamentação.

ESTATÍSTICA

Cód.: 4777 / Empresa: pública / A partir do 2º período / Vaga: 1 / Ala Norte/ Bolsa: R$ 520 + auxílio transp.. / 6 horas diárias – tarde / Atividades: análise de mercado com foco em telecomunicações, levantamento de perfil de consumidores e consumo, pesquisas de satisfação, estudo de indicadores, análise de banco de dados.

FISIOTERAPIA

Cód.: 5571 / Empresa: pública / A partir do 5° período / Vaga: 2 / Ceilândia – DF / Bolsa: R$ 400 + auxílio transp. / 6 horas diárias – manhã / Atividades: auxiliar na manipulação de pacientes e aparelhos.

Cód.: 5548 / Empresa: pública / A partir do 3° período / Vaga: 1 / Ala Norte/ Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – tarde / Atividades: apoio para a consecução das competências do Gabinete da Presidência; receber, registrar expedir e pesquisar documentos, por meio do Sistema de Cadastro e Acompanhamento de Documentos; elaborar resumos ou sínteses de documentos em tramitação no âmbito da empresa; emitir guias de tramitação de documentos.

Cód.: 4741 / 4742 / Empresa: pública / A partir do 2º período / Vaga: 1 / Ala Norte/ Bolsa: R$ 364 + auxílio transp. / 4 horas diárias – manhã ou tarde / Atividades: assessoria técnico-administrativa, operar sistemas informatizados, organizar e manter arquivos / matérias cursadas: Informática, gestão e apoio administrativo.

JORNALISMO

Cód.: 5746 / Empresa: pública / A partir do 4° período / Vaga: 2 / Ala Sul / Bolsa: R$ 520 + auxílio transp. / 6 horas diárias – tarde / Atividades: alimentar o portal da FUNAI com informações, acompanhar as notícias para replicar no portal da FUNAI, atualizar dados para migrar para portal FUNAI.

SECRETARIADO EXECUTIVO

Cód.: 5547 / Empresa: pública / A partir do 3° período / Vaga: 1 / Ala Norte/ Bolsa: R$ 364 + auxílio transp. / 4 horas diárias – tarde / Atividades: apoio administrativo, atender telefone e entrega de documentos dentro ou fora da agência.
Fonte: Correio Braziliense / DF
Ensino Superior
Universidade de Brasília confere título académico ao jornalista Carlos Fino
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:27 hs.
25/11/2013 - Brasília - Em cerimónia pública a realizar nesta quarta-feira, dia 27 de novembro, a Universidade de Brasília (UnB) vai conferir ao jornalista português Carlos Fino o título académico de "Notório Saber em Comunicação".

Estabelecido por lei, o "Notório Saber" qualifica, no Brasil, a pessoa cujo conhecimento e experiência numa área específica são reconhecidos por uma instituição de ensino superior como tendo mérito equivalente a um doutorado. Os critérios de reconhecimento são estabelecidos pelo Conselho Nacional de Educação e o título aceite oficialmente para todos os fins úteis.

No caso concreto de Carlos Fino, que cursou Direito em Lisboa e Bruxelas, o processo prolongou-se por quase três anos – ano e meio para constituição de um "dossier" descrevendo em pormenor todo o percurso académico e profissional do candidato - e outro ano e meio para as diferentes instâncias da UnB analisarem e apreciarem o mérito.

A candidatura de Carlos Fino foi apoiada por docentes universitários portugueses e brasileiros das faculdades de Comunicação da Universidade do Minho, Universidade da Beira Interior, Universidade Federal Fluminense (Rio de Janeiro) e da própria UnB. O jornalista contou também com a recomendação do escritor Miguel Sousa Tavares, de quem foi colega na Faculdade de Direito de Lisboa e, mais tarde, como jornalista, na RTP.

A cerimónia de entrega do título terá lugar no Auditório (Aula Magna) da Reitoria da UnB, presidida pelo reitor, Ivan Marques de Toledo Camargo, devendo contar com a presença do embaixador de Portugal no Brasil, Francisco Ribeiro Telles.

Carlos Fino tornou-se conhecido como jornalista no Brasil durante a cobertura da última guerra do Iraque, em 2003. As suas transmissões para a RTP foram, na altura, difundidas em simultâneo pela TV Cultura, de São Paulo, que destacou o facto de a RTP ter sido a primeira estação do mundo a dar a notícia do início do conflito, superando grandes cadeias mundiais, como a CNN, BBC e Sky News. Na sequência, diversas outras estações de rádio e televisão do Brasil passaram a contactar diariamente com o repórter português para envio de informações de Bagdad, onde nesse período os media brasileiros não tinham correspondentes.

Depois da guerra, Carlos Fino foi convidado a deslocar-se ao Brasil, onde proferiu conferências e participou em debates em diversas faculdades de comunicação, designadamente em Natal, Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Entre 2004 e 2012, Carlos fino exerceu, a convite do governo português, o cargo de conselheiro de imprensa na embaixada de Portugal no Brasil. Nessa qualidade, promoveu, em colaboração com a TV Cultura de São Paulo e a RTP, a série televisiva Lá e Cá, que traça um panorama sobre a evolução e perspectivas das relações Portugal-Brasil.
Fonte: Portugal Digital
Gestão Educacional
4 coisas que todos os chefes gostam de ouvir
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:47 hs.
25/11/2013 - Se você quer construir um bom relacionamento profissional com o seu chefe, confira 4 coisas que todos os superiores gostam de ouvir de um funcionário

O seu chefe provavelmente tem que lidar com prazos dados pelos superiores dele, então ele espera que as tarefas sejam cumpridas dentro desse deadline

Existem algumas características que você precisa desenvolver para construir um bom relacionamento profissional com o seu chefe. Com essas características, existem algumas frases que fazem com que o seu chefe pense que você é um funcionário que está disposto a contribuir para o benefício da empresa e colocam você mais perto de oportunidades que possam surgir.

Confira 4 coisas que todos os chefes gostam de ouvir:

1. “Você não precisa me dizer o que fazer duas vezes”
Essa frase faz com que o seu chefe perceba que você vai prestar atenção em tudo o que ele diz, economizando o tempo que ele gastaria para dar a mesma instrução duas vezes.

2. “Eu vou cumprir o prazo”
O seu chefe provavelmente tem que lidar com prazos dados pelos superiores dele, então ele espera que as tarefas sejam cumpridas dentro desse deadline. Cumprir prazos faz de você um profissional melhor.

3. “Eu sou fácil de conviver”
Você trabalha no mesmo escritório todos os dias. Se o seu chefe souber que você é uma pessoa fácil de conviver, ele terá a certeza de que não vai precisar lidar com problemas que possam surgir entre você e os seus colegas de trabalho.

4. “Eu sei ensinar as pessoas”
Nem sempre o seu superior terá tempo de ensinar aos funcionários novos procedimentos da empresa. Assumir essa tarefa faz com que ele confie em você.
Fonte: Universia Brasil
Gestão Educacional
5 crenças que podem destruir sua carreira
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:59 hs.
25/11/2013 - Acreditar em valores equivocados pode fazer com que a sua carreira acabe se tornando um fracasso. Se você quer evitar que isso aconteça, confira 5 crenças que podem destruir suas chances de sucesso profissional e fique longe delas

Para ter uma carreira bem-sucedida é essencial ter alguns valores. Porém, acreditar em certas coisas pode ter o efeito contrário, diminuindo suas chances de alcançar o sucesso. Se você quer ser um profissional satisfeito com a sua vida profissional, precisa saber no que pode acreditar e, especialmente, o que deve ser deixado de lado. Confira a seguir 5 crenças que podem destruir sua carreira e entenda os motivos para isso:


5 crenças que podem destruir sua carreira: 1. Autoestima se baseia na opinião dos outros

Algumas pessoas costumam se definir tomando como base o que eles acreditam que seus chefes, colegas de trabalho, parentes e amigos pensam delas. O problema é que ao se convencerem de que a opinião alheia é negativa, a confiança dessas pessoas acaba sendo afetada, de modo que elas se sentem incapazes de tomar atitudes consistentes. A sua autoestima depende muito mais da maneira como você se enxerga do que da opinião alheia sobre você. Mantenha isso em mente e trabalhe para ver a si mesmo de uma maneira positiva.

5 crenças que podem destruir sua carreira: 2. Passado e futuro se igualam
Ao enfrentar certos obstáculos, as pessoas assumem que seus objetivos não podem ser alcançados. Com o tempo, essas pessoas acabam perdendo a motivação e passam a evitar situações que apresentam risco de fracasso. E uma vez que qualquer esforço significativo implica risco, essas pessoas são incapazes de fazer progressos.

5 crenças que podem destruir sua carreira: 3. O destino é controlado por forças externas

Você tem todo o direito de acreditar em destino, sorte e qualquer outro tipo de convicção, mas não pode permitir que isso interfira no desenvolvimento da sua carreira. Certas pessoas acreditam que seu estado de vida, ou até mesmo seu potencial como pessoa, é determinado por esse tipo de coisa. Porém, esse tipo de comportamento tira de você a oportunidade de ser proativo. Você acaba se tornando uma pessoa passiva, que não busca seus sonhos por estar esperando sua sorte mudar.

5 crenças que podem destruir sua carreira: 4. Emoções refletem com exatidão a realidade

Assim como interferências do destino, algumas pessoas costumam acreditar também que as emoções são causadas por eventos externos. De fato, o que acontece ao seu redor tem grande potencial para afetar o que você sente, mas isso significa que as emoções são determinadas pela percepção que você tem desses eventos combinados com as suas crenças pessoais sobre o que eles significam. Ou seja: procure sair da sua própria cabeça e observar as situações sobre pontos de vista externos.

5 crenças que podem destruir sua carreira: 5. É possível atingir a perfeição
Acreditar nesse tipo de coisa vai fazer de você um profissional frustrado. É claro que você deve ter o objetivo de ser tão bom quanto possível, mas esteja ciente de que eventualmente vai falhar e se decepcionar. Pessoas perfeccionistas costumam culpar o mundo por seus fracassos, em vez de aprenderem com seus erros e procurarem novos resultados extraordinários.
Fonte: Universia Brasil
Gestão Educacional
5 formas de ser indispensável para o seu chefe
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:56 hs.
25/11/2013 - Ser indispensável para o seu chefe é uma forma de desenvolver-se profissionalmente e ficar mais perto de boas oportunidades. Veja 5 formas de fazer isso

As pessoas querem ficar perto de profissionais que são positivos

O grande objetivo de todo profissional é (ou deveria ser) tornar-se indispensável para o seu chefe ou a empresa na qual trabalha. Além de garantir a estabilidade no seu emprego, conquistar a confiança dos seus superiores pode fornecer vários tipos de oportunidade que só surgem para aqueles que são essenciais para o bom funcionamento do escritório.

Confira 5 formas de ser indispensável para o seu chefe:

1. Aceite tarefas difíceis
Aceitar tarefas difíceis mostra ao seu chefe que você não tem medo de enfrentar novos desafios e sair da sua zona de conforto, passando a imagem de que você quer aprender coisas novas e assumir responsabilidades diferentes. Isso faz de você a primeira pessoa da lista quando surgir uma oportunidade.

2. Seja bilíngue
No mercado de trabalho atual, ser bilíngue é um pré-requisito para trabalhar em grande parte das empresas. Isso acontece porque as indústrias estão cada vez mais globalizadas e prezando a comunicação com diferentes países. Por isso, invista no aprendizado de outro idioma.

3. Seja uma referência
Ser uma referência para os clientes da empresa faz de você indispensável porque é por você que esses consumidores vão procurar.


4. Saiba se comunicar bem
Estabelecer boas relações com o seu chefe e colegas de trabalho vai fazer com que os seus superiores percebam que podem contar com você para desenvolver os projetos da empresa. Isso acontece porque eles terão a certeza de que você vai comunicá-los de qualquer erro que aconteça ao longo do caminho.

5. Seja positivo
As pessoas querem ficar perto de profissionais que são positivos. Esse tipo de comportamento inspira a sua equipe e os funcionários do escritório a continuarem fazendo um bom trabalho.
Fonte: Universia Brasil
Gestão Educacional
Como evitar que seus funcionários deixem o emprego em 2014
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:02 hs.
25/11/2013 - Você sabia que é muito comum que trabalhadores procurem por novas oportunidades no início do ano? Saiba como evitar que seus funcionários deixem o emprego em 2014

Mais de 80% dos trabalhadores dos EUA e do Canadá planejam encontrar um novo emprego logo no início de 2014

De acordo com uma pesquisa anual feita entre norte-americanos pelo grupo Right Management, mais de 80% dos trabalhadores dos EUA e do Canadá planejam encontrar um novo emprego logo no início de 2014.

Por esse ser um fato que ocorre em diversos outros lugares do mundo, é importante que, caso você não deseje perder seus funcionários, atitudes certas sejam tomadas para melhorar a experiência de seus trabalhadores e fazer com que eles se sintam plenamente satisfeitos.

Saiba como evitar que seus funcionários deixem o emprego em 2014:

1. Comunicação
Manter uma comunicação fluente com seus funcionários é essencial para que eles sintam que o trabalho que fazem está sendo devidamente observado e, por isso, valorizado.

2. Firmeza
Sempre que você fizer alguma promessa a seus funcionários, cumpra-a. Seja qual for a importância do que foi dito, desde agendar uma reunião a um aumento no salário, certifique-se de manter sua palavra.

3. Oportunidades
Ofereça boas oportunidades a seus funcionários. Mostre que eles têm capacidade de desenvolvimento dentro da empresa e sempre possibilite que eles cumpram um bom trabalho.

4. Um bom gerente
Uma pessoa competente na gerência das áreas de sua empresa é essencial para manter os funcionários satisfeitos. Verifique se os gestores contratados por você estão fazendo um bom trabalho e, caso contrário, resolva a situação.
Fonte: Universia Brasil
Gestão Educacional
Estímulo ao negócio próprio
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:32 hs.
25/11/2013 - Em prol da cultura da inovação em Brasília, pesquisadores, executivos e empresários da cidade se uniram a fim de criar o Illuminante, instituto para apoiar e desenvolver ideias criativas

O Brasil é o segundo país mais empreendedor do mundo, segundo pesquisa realizada em 2012 na União Europeia e mais 13 países, entre eles China, EUA, Rússia, Índia e Japão. O resultado apontou que 63% dos brasileiros preferem trabalhar em um negócio próprio. A cada cinco minutos, uma empresa é aberta no país, segundo o “empresômetro” do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). Ao analisar esse cenário promissor e algumas lacunas no mercado de Brasília, empresários e acadêmicos querem estimular ainda mais o empreendedorismo no Distrito Federal com o Instituto Illuminante.


O projeto levou apenas sete meses para ser colocado em prática e ganha vida de fato em dezembro, em lançamento marcado para dia o 17. O objetivo do grupo é proporcionar apoio técnico, busca de patrocinadores, divulgação de ideias, formatação de projetos e ajuda na obtenção de recursos. A diversidade de experiências acadêmicas e empresariais dos integrantes do instituto habilita a atuarem como fomentadores de empresas e alavancadores de negócios.

“Existem pessoas com propostas inovadoras que podem resolver problemas sociais, mas não sabem o que fazer com elas. Queremos identificar boas ideias, que estejam alinhadas com as demandas do mercado de Brasília, para que depois o modelo possa ser aplicado em outras cidades”, conta Paulo Foina, vice-presidente do Illuminante.

Como fazer a sociedade pensar em tecnologia sob o enfoque do desenvolvimento da cidade? Criando um ambiente promissor para que o empreendedorismo progrida, sem que as ideias inovadoras saiam para outros estados ou, até mesmo, para fora do país. A resposta veio com os motivos que levaram à criação do instituto. Empresas internacionais têm uma demanda muito grande por tecnologia e, em Brasília, falta mão de obra e empresas para atender as necessidades do mercado.

Uma das propostas do Instituto Illuminante é criar conexões entre empresas, academia e governo para fomentar a ação empreendedora. “Queremos atuar em diversas frentes e setores para criar um núcleo de networking”, revela o presidente do Instituto, Marcos Nascimento.

O Illuminante pretende desenvolver ações de cunho educacional com escolas de ensino fundamental, médio e superior para criar o interesse pelo questionamento social, estimular a inquietude intelectual, promover o descobrimento científico e apoiar a efetiva transformações de ideias em ações concretas.

“Queremos induzir o desenvolvimento de ideias, de projetos e de empresas no DF. É a própria cidade dando solução as suas necessidades, a partir de um ambiente que está sendo facilitado para o jovem, acima de tudo. Ele detêm a capacidade de inovar, mas, se não souberem constituir uma empresa para levá-la para o mercado, a ideia não vale de nada”, comenta o diretor de Relações Internas do Illuminante, Gilberto Lima Jr.

Queremos atuar em diversas frentes e setores para criar um núcleo de networking”
Marcos Nascimento, Instituto Illuminante

» Crescimento
De 2012 para 2013, Brasília registrou um aumento de 10,56% no número de empresas, segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). A capital ocupa a quarta posição no ranking das cidades brasileiras com o maior número de empresas ativas.

» Cenário promissor
Foi aprovada na Câmara Legislativa a proposta de emenda à Lei Orgânica que garante aumento gradativo do orçamento da Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP-DF). O resultado vai permitir que a instituição que hoje conta com 0,5% da receita corrente líquida do DF, passe a ter 2%. Os recursos serão aplicados no desenvolvimento científico e tecnológico e em projetos de inovação.
Fonte: Correio Braziliense / DF
Gestão Educacional
Paixão, sim, mas com preparo
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:36 hs.
25/11/2013 - O país tem 37 milhões de empreendedores. Eles querem deixar a própria marca no mundo, não desistem no primeiro obstáculo e estão dispostos a arriscar. Contudo, precisam de qualificação

O empreenderismo está ligado à paixão. Por uma ideia, por um objetivo de vida, pela vontade de deixar uma marca no mundo. Esse sentimento é o que leva um profissional experiente a abandonar o mercado de trabalho e a apostar em um negócio próprio, ou um jovem sem qualquer vivência em um emprego formal a arriscar e seguir o mesmo caminho. A prática é uma das melhores maneiras de se tornar um empresário de sucesso, mas buscar qualificação também é essencial para preencher lacunas e correr apenas riscos calculados. O país tem 37 milhões de empreendedores e outros 54 milhões de brasileiros desejam abrir uma empresa, de acordo com a pesquisa internacional Global Entrepreneurship Monitor (GEM), de 2012. Na primeira da série de reportagens sobre como criar uma empresa, o Correio mostra as habilidades necessárias para se tornar um empreendedor e de que forma desenvolvê-las.

Gilberto Sarfati, professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP), elenca as cinco principais características de um empreendedor: necessidade de realização e de independência, tendência criativa, determinação e disposição para correr riscos calculados. “Todas elas podem ser desenvolvidas, e o primeiro passo é adquirir conhecimento, por meio de cursos ou de leituras”, destaca. Depois de estudar e de aprimorar as habilidades que faltavam, chega o momento de testar esse conhecimento em uma situação prática, explica Sarfati, para avaliar o desempenho e aperfeiçoar o que for necessário.

Para Igor Fonseca, 26 anos, a descoberta da vocação para empreender veio depois que voltou de um intercâmbio na Austrália. Formado em educação física, antes de partir para a experiência no exterior ele estudava para concursos públicos e já havia trabalhado em uma academia, mas não se adequou ao emprego formal. “Desde criança fiz bazares com as minhas coisas e, na juventude, comecei a observar outros empresários, a fazer cursos e descobri que o meu perfil é de empreendedor, e não de funcionário”, relata.

Quando voltou ao Brasil, decidiu investir no negócio próprio. Tentou vender biquínis e saladas de frutas antes de encontrar o projeto ideal: a produção de açaí. Ele comercializa caixas com 12 unidades do produto em embalagens de plástico, pronto para o consumo. “Sou criativo e, quando trabalho para mim, consigo realizar as atividades com mais vontade e precisão”, justifica. O jovem empresário abriu a Cilindro Açaí em 2009 e há um ano inaugurou a primeira loja. A empresa produz cerca de 1 tonelada de açaí por mês e o faturamento varia de R$ 12 a R$ 15 mil.

Liberdade com limites
Alguns empreendedores são pessoas que, como Igor, não conseguiram se encaixar no mundo corporativo como empregados, ou por serem considerados insubordinados e quererem agir com mais liberdade ou por não se adequarem às normas e regras rígidas de algumas organizações. Essa aparente rebeldia pode ser sinal de que o seu lugar é, na verdade, à frente do próprio negócio. Os especialistas alertam, no entanto, que a simples vontade de largar o terno e a gravata e de não ter mais que responder a um chefe não é suficiente para deixar tudo e abrir um empresa.

“Diversos empreendedores foram funcionários durante vários anos e, porque compreenderam muito bem o mercado ou o processo de gestão, ficaram mais encorajados para empreender”, exemplifica Siegrid Guillaumon, professora da disciplina de empreendedorismo e inovação da Universidade Católica de Brasília (UCB). Siegrid não descarta que a liberdade plena é o sonho de todos e que isso é um dos componentes do perfil do empreendedor, mas é preciso ser cauteloso e ter em mente o ônus que essa decisão traz, incluindo uma responsabilidade maior sobre os resultados da empresa. “Temos estudos que revelam que o empreendedor trabalha, em média, 10 a 12 horas por dia, inclusive nos fins de semana, ou pelo menos seis dias na semana. O empreendedor não descansa. A diferença é que trabalha para ele. Quem trabalha para outra pessoa ou empresa, muitas vezes, não encontra sentido na tarefa, sente que está cumprindo uma função mecânica.”

Conhecimento
Abrir uma empresa dispensa um diploma de curso superior, o aprendizado pode vir da prática diária no empreendimento, mas as chances de errar são muito menores quando se tem os conhecimentos necessários para desenvolver as habilidades que todo empreendedor deve ter. Existem diversos cursos e eventos que reúnem dicas para quem já tem uma empresa ou para quem pretende abrir um negócio próprio, inclusive opções de MBA e pós-graduação e eventos, como a Feira de Negócios e Inovação, que ocorrerá em 14 de dezembro na Universidade de Brasília (UnB).

“Muitas vezes, a pessoa tem excelente espírito empreendedor, mas, por falta de capacitação, não consegue se desenvolver”, destaca Paulo Suarez, diretor do Centro de Desenvolvimento Tecnológico da UnB (CDT/UnB). E a preparação, alerta o especialista, precisa ser permanente, pois o mercado está em constante mudança. A regra vale para qualquer setor, até mesmo os mais tradicionais. “Essa capacitação pode ocorrer de diversas formas, desde um autodidata que procure leituras e informações dos mais diversos meios, até aquele que vai procurar curso de curta duração ou uma incubadora. O que não pode é a pessoa manter soluções que funcionavam no passado.”

A professora Siegrid Guillaumon explica que o curso superior mais adequado para empreendedores é o de administração, que ajudará a lidar com questões financeiras, jurídicas, trabalhistas e de planejamento, por exemplo. Essas graduações estão sendo procuradas tanto por jovens que querem aproveitar as oportunidades de empreendimentos virtuais quanto por pessoas mais experientes no mercado, que têm negócios consolidados.

Além da técnica
A empreendedora Bel Pesce, autora do livro A menina do Vale, usou a experiência adquirida ao abrir diversas startups para ensinar outros empreendedores. O novo projeto de Bel é uma escola de empreendedorismo que oferece cursos presenciais e on-line para preencher a lacuna entre o que se aprende na escola e o que o mercado realmente demanda, a FazINOVA — fazinova.com.br. “Eu acho interessante o empreendedor ter conhecimentos específicos, ainda mais se for fazer algo muito tecnológico, mas tenho reparado que as grandes habilidades que te ajudam a empreender são relacionadas ao lado comportamental: a habilidade de conseguir comunicar bem a visão tanto para hoje como para daqui a 10 anos, por exemplo. Elas são difíceis de se aprender em uma escola, tem que empreender mesmo.”

Capacite-se


Fundação Getulio Vargas (FGV)

Cursos on-line

Gratuitos:

Introdução ao Private Equity e Venture Capital para empreendedores
- Parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI)
- Site: bit.ly/UBMrSk
- Carga horária: 40 horas
- Início imediato
- Alunos que preencherem o cadastro e tirarem nota mínima 7 no fim do curso recebem uma declaração de participação/conclusão

Introdução à Administração Estratégica
- Site: bit.ly/17zd3fU
- Carga horária: 5 horas
- Início imediato
- Alunos que preencherem o cadastro e tirarem nota mínima 7 no fim do curso recebem uma declaração de participação/conclusão

Pagos:

Presença Estratégica
- Duração: 9 semanas
- Início do curso: 13/01/2014
- Inscrições até: 30/12/2013
- Site: bit.ly/1egGkyu

Governança Estratégica
- Duração: 9 semanas
- Início do curso: 09/12/2013
- Inscrições até: 25/11/2013
- Site: bit.ly/I1Nc7G

Pensamento Estratégico
- Duração: 9 semanas
- Início do curso: 09/12/2013
- Inscrições até: 25/11/2013
- Site: bit.ly/1aEzj95

Projetos Estratégicos
- Duração: 9 semanas
- Início do curso: 13/01/2014
- Inscrições até: 30/12/2013
- Site: bit.ly/1fT83ph
Negociações Complexas
- Duração: 9 semanas
- Início do curso: 09/12/2013
- Inscrições até: 25/11/2013
- Site: bit.ly/1bBwJyi
Série Estratégica de gestão
- Duração: 9 meses
- Carga horária: 120 horas
- Início do curso: 09/12/2013
- Inscrições até: 25/11/2013
- Site: bit.ly/17BNVpG

Cursos presenciais — FGV Management Brasília

Curta duração

Excelência no Atendimento ao Cliente
- Duração: 16 horas-aula
- Aulas nos dias 02 e 03 de dezembro, das 8h30 às 18h10
- Data de início: 02/12/2013
- Inscrições abertas até o início do curso
- Site: bit.ly/1bOc7q3

Negociação
- Duração: 24 horas-aula
- Aulas de 07 a 11 de abril de 2014, das 19h às 23h20
- Data de início: 07/04/2014
- Inscrições abertas até o início do curso
- Site: http://bit.ly/1bOc7q3
MBAs

Empreendedorismo e desenvolvimento de novos negócios
- Duração: 24 meses – 432 horas-aula
- Aulas às 4ªs e 5ªs, das 19h às 23h20
- Data de início: 23/04/2014
- Inscrições abertas até abril de 2014
- Site: bit.ly/1bOc7q3
Gestão empresarial com ênfase em estratégia
- Duração: 24 meses – 432 horas-aula
- Aulas às 6ªs, de 19h às 23h20min, e sábados, das 8h às 12h20min
- Data de início: 11/04/2014
- Inscrições abertas até abril de 2014
- Site: http://bit.ly/1bOc7q3

Informações pelo e-mail cursos.bsb@fgv.br ou pelo telefone 3799-8000

Universidade de Brasília (UnB)

Estação Empreendedorismo
Ciclo de palestras sobre empreendedorismo aberto à comunidade.
Quando: 13 de dezembro
Onde: Centro de Desenvolvimento Tecnológico da UnB (CDT)

Feira de negócios e inovação
Evento que reúne empresas incubadas no CDT, empresas Juniores e alunos das disciplinas de empreendedorismo ministradas na universidade. Inclui atividades como Café Empresarial, Rodada de Negócios e palestras.
Quando: 14 de dezembro, das 8h às 18h
Onde: Centro Comunitário Athos Bulcão
Informações: feiradenegocios@cdt.unb.br ou 3107-4134

Centro Universitário Iesb
O Núcleo de Desenvolvimento do Instituto Eda Coutinho promove múltiplas ações voltadas para o desenvolvimento e implementação de soluções relacionadas à moderna gestão organizacional, atendendo aos setores público e privado. A abertura de novas turmas para os cursos in company customizados, para empresas públicas e privadas, está prevista para o início de 2014. Os cursos serão montados de acordo a necessidade de cada grupo.
Informações: (61) 3448-9814.

Endeavor Brasil
Atualmente, oferece sete cursos e para 2014 a previsão é de que sejam abertos mais 15 cursos.
-Valor: de R$100 a R$250
- Duração: de 3 a 6 horas
- Inscrições: www.endeavor.org.br/cursos
Ibmec

Cursos de curta duração Plano de Negócios e Planejamento Estratégico
Duração: oito horas, em quatro encontros, das 19h às 22h30
Inscrições e informações: www.ibmec.br/extensao
CBA Gestão de Negócios
Voltado para empreendedores e profissionais que estão se preparando para assumir cargos de gestão
Duração: 12 meses
Inscrições e informações: www.ibmec.br/pos
Curso on-line Modelos de Negócios
Duração: 30 horas
Inscrições: www.ibmeconline.com.br.

Universidade Católica de Brasília (UCB)
A instituição promove, todo mês de maio, evento aberto público com oficinas de empreendedorismo e palestras, em parceria com o Sebrae.
Informações: www.ucb.br

Centro Universitário de Brasília (UniCeub)
Oferece pós-graduação em Gestão Empreendedora em Projetos
Inscrições: http://www.uniceub.br/cursos/gestao-e-negocios/pos-graduacao/gestao-empreendedora-em-projetos/sobre-o-curso.aspx

Escola de Negócios do Sebrae, em SP
A primeira escola de empreendedorismo gratuita do país oferece o curso Gestão de Negócios e Inovação. A inscrições para o próximo semestre estão encerradas. O edital para a próxima seleção deve ser divulgado no segundo semestre de 2014
Informações: www.vestibularfatec.com.br
Sebrae no DF
Oferece diversos cursos durante o ano no Circuito Empreendedor. Confira as cursos que vão ocorrer até o fim do ano:

PROGRAMA PRÓPRIO:

PORTAS ABERTAS
Datas: 25/11, 27/11, 02/12, 04/12, 09/12 E 11/12
DESPERTANDO O EMPRESÁRIO
Datas: 03/12 E 05/12
COLETANDO INFORMAÇÕES
Datas: 28/11, 05/12 E 12/12
CONHECENDO O SEU NEGÓCIO
Datas: 28/11 E 12/12
OFICINA SEI CONTROLAR MEU DINHEIRO
Datas: 27/11, 04/12 E 05/12

PROGRAMA NA MEDIDA:

GESTÃO FINANCEIRA NA MEDIDA
Datas: 25 A 29/11
NA MEDIDA PARA MICROEMPRESA
Datas: 3/12

PRÁTICAS EMPRESARIAIS:

FLUXO DE CAIXA
Datas: 26/11
PLANO DE ACESSO AO CRÉDITO
Datas: 2/12
PESQUISA DE MERCADO
Datas: 4/12
SAIBA COMO MONTAR SEU PREÇO DE VENDA
Datas:9/12

EducaOnline
Com o objetivo de propiciar e facilitar o acesso a informações importantes e necessárias para o desenvolvimento de empresários, possibilitando que os mesmos caminhem com mais firmeza na estrada do empreendedorismo, o Sebrae no DF desenvolveu o EducaOnline. O programa oferecerá diversas atividades na metodologia de educação a distância, que serão apresentadas por meio de vídeos e textos, escolhidos pelos empresários de acordo com seus interesses. Serão aulas, testes, dicas de atendimento e várias outras opções que visam otimizar o tempo e melhorar o negócio. Todos os textos das palestras estarão disponíveis em português e em inglês e, além disso, os vídeos, ainda, serão traduzidos para a Língua Brasileira de Sinais (Libras), facilitando o aprendizado de empresários com deficiência auditiva.

Inscrições:intranet.df.sebrae.com.br/ead

FazINOVA
Escola de empreendedorismo on-line criada pela empreendedora do Vale do Silício Bel Pesce. Atualmente, oferece dois cursos on-line gratuitos, um sobre Canvas de modelos de negócios e outro baseado no livro A menina do Vale, escrito pela própria Bel.
Mariana Niederauer
Fonte: Correio Braziliense/ DF
Gestão Educacional
PORTARIA Nº 39, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:11 hs.
25/11/2013 - Instituir Grupo de Trabalho com a atribuição de: elaborar relatório dos índices de evasão, retenção e conclusão desagregados para diferentes modalidades de cursos; e elaborar manual de orientação para o combate à evasão, incluindo o diagnóstico de aluno ingressante com propensão à evasão, identificação das causas e utilização de monitorias, tutorias e reforço escolar.

Acesse em: http://www.cmconsultoria.com.br/legislacoes.php?ID=4096
Fonte: CM Consultoria.
Gestão Educacional
Saiba como ganhar destaque dentro da empresa e, de quebra, no mercado
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:27 hs.
25/11/2013 - Não é preciso ser super-herói ou bajulador. Estar pronto para resolver problemas e assumir riscos são qualidades valorizadas

RIO — Na maioria das empresas, há aqueles funcionários que se destacam: são os primeiros a entregar seus projetos no prazo, são reconhecidos por suas realizações e, eventualmente, trilham o caminho até o topo. Sabem muito bem administrar o jogo político que rola no mundo corporativo. Mas não é preciso ser um super-herói, tentando dar conta de todas as tarefas ao mesmo tempo, nem ser um bajulador: existem outras qualidades que esses profissionais têm e chamam a atenção dos gestores e do mercado em geral, afirma o consultor de carreira e coach americano Steve Siebold em artigo publicado pelo site da Forbes. Veja como pode se tornar um deles:

Seja obcecado por produtividade — Os melhores funcionários tendem a trabalhar em empregos e empresas que eles amam. Um resultado disso é que os pensamentos de como ser mais produtivo e bem sucedido raramente deixam sua mente. Na verdade, esses profissionais precisam se esforçar (ou serem forçados) a fazer outras atividades que não estejam ligadas ao trabalho para permitir que sua mente relaxe e se recupere.

Esteja preparado para resolver problemas — A resolução de problemas é uma habilidade fundamental em qualquer negócio. A média dos funcionários tende a gastar mais tempo disputando espaço para chamar a atenção de seus superiores do que encontrando soluções para os problemas. Já aqueles que realmente se dedicam não estão interessados em elogios, mas sim em resultados. Eles tentam resolver os pequenos problemas rapidamente, para se dedicarem àqueles mais difíceis, complexos, seja individualmente ou como parte de uma equipe.

Assuma riscos — A figura mais comum no mercado corporativo é a do gerente de vendas, que anseia a aprovação e a amizade de sua equipe. A segunda é daquele que governa sua equipe com punho de ferro, recusando-se a dar um feedback ou acompanhar a equipe em campo. Os gestores mais valorizados não são nem ditadores nem microadministradores. Em vez disso, têm dois objetivos principais: aumentar a receita e buscar o melhor daqueles que lideram. Isso pode torná-los impopular ou fazer com que as pessoas saiam de suas zonas de conforto. Mas esses líderes são capazes de se adaptar a qualquer situação: nunca optam pelo mais óbvio e seguro quando têm que liderar suas equipes em situações de mudança e sabem que seu trabalho deve servir como guia para seus funcionários.

Seja ético e tenha amor pelo que faz — Muitas pessoas fazem o básico, apenas para escapar de serem demitidos, e, mesmo assim, esperam ser recompensados ​​por cada pequena coisa que fazem. Os verdadeiros profissionais têm exatamente uma mentalidade oposta. Sabem que o mercado vai recompensar aqueles que são éticos, se dedicam e vibram com o que fazem com um fluxo interminável de oportunidades. É justamente esta ética de trabalho que fez com que muitos imigrantes que conseguiram abrir um negócio ou souberam aproveitar as oportunidades de trabalho se tornassem milionários, principalmente nos Estados Unidos e outros países da América. Eles são tão gratos pela oportunidade de trabalhar duro que ninguém consegue convencê-los a pisar no freio e deixar o barco correr.
Fonte: O Globo
Ministro da Educação
AGENDA DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:35 hs.
25/11/2013 - Segunda-feira, 25 de novembro de 2013

11h00

Lançamento do Programa Nacional dos Territórios Etnoeducacionais Indígenas e da Ação Saberes Indígenas na Escola

Local: Auditório do MEC
Fonte: MEC
Publicações
Biocombustíveis enfrentam desafios para expansão
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:41 hs.
25/11/2013 - Por Elton Alisson

Agência FAPESP – A necessidade de aumentar a produção e distribuição de energia no mundo somada à recente resolução de diversos países, como os Estados Unidos, de aumentar a utilização de combustíveis renováveis até 2021 deverão impulsionar globalmente a expansão da indústria de biocombustíveis nos próximos anos.

Para atender a uma maior demanda mundial por bioenergia, contudo, o setor terá de superar desafios de diversas ordens. Entre eles, aumentar o cultivo de culturas agrícolas utilizadas para obter biocombustíveis, sem afetar a produção de alimentos; adaptar-se aos impactos das mudanças climáticas globais na agricultura; e competir em condições desiguais com os combustíveis fósseis – que hoje são fortemente subsidiados em inúmeros países, incluindo no Brasil.

As observações foram feitas por pesquisadores participantes do “Workshop Bioenergia e Sustentabilidade: a perspectiva da indústria”, realizado no dia 18 de novembro, na FAPESP.

O encontro foi preparatório para o Processo Rápido de Avaliação (Rapid Assessment Process) sobre biocombustíveis e sustentabilidade que pesquisadores dos Programas FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN), em Caracterização, Conservação, Recuperação e Uso Sustentável da Biodiversidade do Estado de São Paulo (BIOTA) e sobre Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG) realizarão, no início de dezembro, na sede da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), em Paris, na França.

A avaliação – realizada a convite da Secretaria do Comitê Científico para Problemas do Ambiente (Scope) da Unesco – deverá resultar em um “Resumo de políticas” contendo uma série de recomendações da academia, indústrias, instituições governamentais e não governamentais (ONGs) para apoiar a tomada de decisões relacionadas a biocombustíveis e sustentabilidade por parte de empresas, governos e instituições internacionais associados à Organização das Nações Unidas (ONU).

“O objetivo do trabalho de avaliação é, tendo em vista que a produção de bioenergia está se expandindo no mundo, contribuir com recomendações para políticas públicas que possam estimular a produção de biocombustíveis e eliminar algumas barreiras ao avanço dessa indústria globalmente”, disse Glaucia Mendes Souza, professora do Instituto de Química (IQ) da Universidade de São Paulo (USP) e membro da coordenação do BIOEN, na abertura do evento.

O estudo contará com a participação de 95 especialistas da área de biocombustíveis, provenientes de 56 instituições de pesquisa de 19 países, e deverá ser publicado na forma de um livro eletrônico (e-book) previsto para ser lançado em outubro de 2014.

Os principais resultados também serão publicados em uma edição especial do Journal Environmental Development e anunciados na abertura da 2nd BBEST – Conferência Brasileira de Ciência e Tecnologia em Bioenergia (Brazilian Bioenergy Science and Technology Conference), prevista para ocorrer em outubro de 2014 em Campos do Jordão.

“A síntese do conhecimento sobre biocombustíveis e sustentabilidade que produziremos não será simplesmente uma revisão da literatura científica ou um tutorial sobre o tema”, afirmou
Souza.

“Pretendemos avançar na discussão por meio da abordagem de questões transversais relacionadas à produção de biocombustíveis, como segurança alimentar, energética, ambiental e climática e desenvolvimento sustentável e inovação”, contou.

Demanda de energia

De acordo com dados apresentados por pesquisadores participantes do encontro, obtidos da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês), a demanda por energia no mundo deverá dobrar nas próximas décadas, passando dos atuais 500 hexajoules (hj) para mil hexajoules em 2050.

A produção de óleo e gás, no entanto – que representam 60% da energia primária mundial –, deverá cair no mesmo período, tendo em vista que está diminuindo o número de reservas de petróleo e, em contrapartida, aumentam os custos para prospecção e extração de óleo e gás de novos campos petrolíferos, aponta o órgão.

Em razão desse cenário e com a finalidade de atender ao aumento da demanda mundial por energia, a IEA prevê que, em 2030, os biocombustíveis contribuirão com 4% a 10% – dependendo da introdução do etanol de segunda geração – no total da energia utilizada para transporte rodoviário no planeta.

Para isso, será necessário utilizar entre 3,8% e 4,5% da terra arável disponível mundialmente para o cultivo de culturas agrícolas destinadas à produção de biocombustíveis, contra 1% do total de terra usada hoje no mundo para essa finalidade.

Essa expansão da produção de biocombustíveis, no entanto, não deverá competir com a de alimentos, cuja demanda mundial também aumentará nos próximos 40 anos, estimam os pesquisadores.

“Esses números [referentes ao potencial de participação dos biocombustíveis na matriz energética mundial] ainda estão sendo discutidos, mas estamos caminhando para um consenso de que a disponibilidade de terra arável para cultivo de culturas agrícolas voltadas à produção de biocombustíveis não será um problema”, disse Souza.

Desde 2007, a produção de biocombustíveis no mundo aumentou 109%, apontaram pesquisadores participantes do evento.

As projeções da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) também indicam que, nos próximos anos, a produção de bioetanol e biodiesel no mundo deverá aumentar 60%, saltando do atual patamar de 149 bilhões de litros para 222 bilhões de litros em 2021.

Uma das razões para esse aumento de produção, de acordo com especialistas na área, é a decisão de cerca de 41 países, anunciada nos últimos anos, de aumentar por meio de projetos de lei a utilização de etanol em suas frotas de veículos até 2021.

Os Estados Unidos, lembrou Goldemberg, estipularam que, em 2012, deverão consumir 79,8 bilhões de litros de etanol a mais do que o total de 67 bilhões de litros do combustível que obtêm do milho e utilizam hoje.

A legislação norte-americana estabeleceu, porém, que essa cota excedente deverá ser de biocombustíveis de segunda geração, produzidos no próprio país, ele completou.

Mas especialistas na área acham que essa meta será difícil de ser atingida em razão das dificuldades industriais enfrentadas atualmente para produzir esse tipo de bioenergia obtida não apenas da sacarose presente no colmo da cana-de-açúcar – como a do bioetanol de primeira geração, por exemplo –, como também do açúcar presente nas paredes celulares do bagaço, das folhas e de outros resíduos da planta.

“Se essa legislação não for mudada, os Estados Unidos terão de importar esse etanol excedente de algum outro país produtor, proporcionando uma oportunidade interessante para o Brasil”, disse José Goldemberg, professor do Instituto de Eletrotécnica e Energia (IEE) da USP, durante o evento.

Segundo Goldemberg, no caso do Brasil, estima-se que o país também consumirá 24,2 bilhões de litros a mais de etanol obtido da cana-de-açúcar em 2021 do que o total de 37,4 bilhões de litros do biocombustível que utiliza hoje.

Outros países também estabeleceram a meta de que, até 2021, no mínimo 10% do total de combustíveis que usam deverá ser proveniente de combustíveis renováveis, o que corresponderá a uma produção adicional de mais 34,8 bilhões de litros de etanol.

Somadas, essas produções adicionais de etanol para abastecer os Estados Unidos, Brasil e outros países que definiram políticas para aumentar a utilização de biocombustíveis totalizarão 138 bilhões de litros de etanol em 2021, calculou Goldemberg.

Se esse volume de etanol fosse obtido da cana-de-açúcar, seriam necessários 25 milhões de hectares de terra para cultivar a cultura agrícola, estimou o pesquisador.

“Há vários estudos de autoria de pesquisadores brasileiros apontando que é possível encontrar dentro do Brasil essa quantidade de terra, sobretudo por conta da melhoria da eficiência da pecuária brasileira, que é extremamente ineficiente [em termos de uso da terra para pastagem]’, afirmou Goldemberg.


O gado brasileiro é o que vive mais confortavelmente em todo o mundo, porque tem cerca de um hectare de área de pastagem”, avaliou.

Condições adversas

Algumas das principais ameaças à expansão da produção de biocombustíveis no mundo estão relacionadas a mudanças do clima e à falta de políticas públicas estáveis, que valorizem e diferenciem esses combustíveis renováveis e que promovam seu adequado desenvolvimento no mundo, apontaram pesquisadores participantes do evento.

No que se refere ao clima, o aumento lento e gradual da temperatura e as alterações no padrão de chuva, já observados em diferentes regiões do mundo, deverão afetar culturas agrícolas utilizadas para produção de biocombustíveis, como a própria cana-de-açúcar, além do milho, da soja, da colza, da beterraba e do girassol, alertam estudos publicados recentemente por pesquisadores de instituições como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

“As áreas de cultivo dessas culturas agrícolas devem diminuir porque a rapidez com que as mudanças climáticas estão ocorrendo é maior do que o tempo que essas espécies e os sistemas socioeconômicos de produção precisariam para fazer uma transição para um padrão de clima diferente do que têm hoje”, disse Paulo Artaxo, professor do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP), também presente no workshop.

“Algumas dessas culturas agrícolas são mais sensíveis do que outras e o Brasil tem de estar atento para essa questão que representa uma grande contingência agropecuária”, afirmou.

Já a falta de transparência na formação de preços dos combustíveis no mercado mundial e de políticas públicas afetam a sustentabilidade financeira do setor mundial de biocombustíveis, apontaram especialistas.

Segundo dados apresentados por Luiz Augusto Horta Nogueira, professor da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), os combustíveis fósseis recebem subsídios governamentais da ordem de US$ 440 bilhões por ano em todo o mundo.

Em contrapartida, os investimentos globais de suporte financeiro aos combustíveis de fonte renovável hoje são da ordem de US$ 100 milhões por ano.

“O etanol da cana-de-açúcar apresenta uma série de indicadores de sustentabilidade ambiental e se for comercializado em um mercado minimamente justo, com regras claras de formação de preços dos combustíveis, também apresenta sustentabilidade financeira”, disse Nogueira.

“Mas não dá para esperar que ele compita com um combustível fóssil, como a gasolina, que recebe subsídios dessa ordem de grandeza”, avaliou.
Fonte: Agência FAPESP - São Paulo/SP
Publicações
Economistas veem aperto monetário maior em 2014 com Selic a 10,50%
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:17 hs.
25/11/2013 - Em relação à inflação, os economistas fizeram um pequeno ajuste para baixo da projeção para 2013 a 5,82%, ante 5,84%

SÃO PAULO - Economistas de instituições financeiras mantiveram a perspectiva de que a Selic será elevada em 0,5 ponto percentual nesta semana, encerrando o ano a 10%, mas passaram a ver um aperto monetário maior em 2014, mostrou a pesquisa Focus do Banco Central nesta segunda-feira.

Para o ano que vem, as projeções mostram expectativa de que a Selic encerre a 10,50%, ante 10,25% na semana anterior.

Em relação à inflação, os economistas fizeram um pequeno ajuste para baixo da projeção para 2013 a 5,82%, ante 5,84% na pesquisa anterior. Já a perspectiva para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano foi mantida em 2,50%.

Com Agências
Fonte: O Globo
Publicações
Foi bem difícil, diz estudante de 16 anos após temporada em Harvard
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:50 hs.
25/11/2013 - Após terminar o Ensino Médio, Letícia pensa em voltar para Harvard

Aos 16 anos de idade e sem ter concluído o ensino médio, a adolescente Letícia Mattos da Silva, de Porto Alegre, já conseguiu realizar o sonho de muitos brasileiros: estudar na Universidade Harvard, nos Estados Unidos, uma das mais prestigiadas do mundo.

Entre julho e agosto deste ano, a jovem cursou três disciplinas na instituição: astronomia, matemática e topologia. “Foi bem difícil, principalmente as aulas de matemática, porque era uma matéria muito específica e de um nível muito avançado. Normalmente, aqui no Brasil, eles dão isso no mestrado, às vezes no doutorado. Mas no final acho que acabei aproveitando bastante”, conta a estudante.

Letícia é o que os especialistas chamam de superdotados, pessoas que possuem habilidades especiais ou inteligência acima da média. A condição dela foi diagnosticada antes dos cinco anos de idade, quando foi submetida a um teste de QI (quociente de inteligência). Desde então, ela tem evoluído cada vez mais e encontrado muitas dificuldades em um ambiente escolar nem sempre preparado para reconhecer e lidar com esse tipo de aluno.

Não existem pesquisas oficiais sobre o número de superdotados no Brasil. A última foi feita no Rio Grande do Sul em 2001 pela pela Associação Gaúcha de Apoio às Altas Habilidades/Superdotação (AGAAHSD), que encontrou um índice de 7,78%. Isso significa cerca de 200 mil alunos na educação básica do estado, ou seja, entre dois e três por sala de aula. A estimativa do Conselho Brasileiro para Superdotação é de que entre 3,5% a 5% dos brasileiros sejam superdotados.

Muitos deles acabam passando despercebidos por pais e professores. Não foi o caso de Letícia. A capacidade dela de assimilar conteúdos na sala de aula sempre foi acima da média dos demais. Na 1ª série, ela já sabia ler, mas os pais decidiram que ela não adiantaria um ano para conviver com crianças da mesma idade. Foi uma decisão pensada com foco no desenvolvimento psicoemocional da criança, seguindo a recomendação de especialistas.

Com o passar do tempo, no entanto, ela começou a se sentir cada vez mais diferente. “Normalmente, eu falava coisas que os meus colegas não falavam muito no dia a dia, palavras diferentes, que meus pais usavam e meus colegas não. Ou eu lia livros que tinham mais palavras do que eles, que na época liam algo com mais desenhos. E normalmente eu aprendia mais rápido no colégio, com mais facilidade”, lembra Letícia.

Quando a estudante entrou no Ensino Médio, a distância entre ela e os outros alunos ficou ainda maior. Da mesma fora, aumentaram os problemas. “Acho que muitos professores não gostavam de mim, porque, muitas vezes, quando eles faziam algo errado, os colegas ficavam quietos, e eu corrigia. Quando eu acabava as minhas lições, eu sempre queria mais, fazia mais, e acho que isso irritava um pouco eles”, conta.

A jovem explica que nunca teve problemas por gostar de estudar, mas já sofreu por não ser compreendida. Para ela, faltam informações e capacitação entre professores e educadores para lidar com estudantes mais avançados. Os próprios pais de Letícia muitas vezes ficavam sem as repostas certas sobre como proceder. “Eu não teria sofrido tanto com algumas questões se as pessoas conhecessem mais sobre o assunto, procurassem entender um pouco melhor além do senso comum”, desabafa.

Ela mudou de colégio e conseguiu pular do 1º ano do Ensino Médio diretamente para o 2º ano. “Uma matéria que a professora vai levar um mês para ensinar, eu aprendo em uma semana”, garante a jovem, que prefere ficar em casa lendo sobre astronomia ou matemática em vez de ir a festas. Ela diz que até já fez alguns esportes, mas nunca encontrou um exercício que realmente interessasse. A sua paixão é os livros.

No final de 2012, quando estava com 15 anos, Letícia passou no vestibular de física da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mas por não ter concluído o Ensino Médio foi proibida de se matricular. Frustrada com a negativa e com vontade de ter uma experiência universitária antes de terminar o colégio, ela foi aceita em Harvard para cursar disciplinas avulsas. Resultado: foi aprovada nas três com conceitos A e B. “Se eu voltar pra lá, já tenho oito créditos universitários”, comemora.
Fonte: TV Morena - HOME
Publicações
Jovens precavidos
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:29 hs.
25/11/2013 - Especialistas alertam que é preciso saber controlar as finanças desde o começo da vida profissional

Planejar a renda, poupar e pensar no futuro também são tarefas para os jovens que estão entrando no mercado de trabalho. Independentemente da idade, especialistas em finanças pessoais alertam: é preciso controlar o próprio dinheiro e quanto antes isso acontecer, melhor. Nesse período da vida, em que os anseios de consumo são maiores, o primeiro passo é abrir mão dos gastos supérfluos. Além disso, é indicado aproveitar a fase de menos despesas, já que muitos ainda moram com os pais, e investir 50% do salário na poupança. Para aqueles que têm renda mais apertada, no entanto, a aplicação pode começar em 5% ou 10% da remuneração e aumentar ao mesmo tempo em que o profissional cresce na carreira.

Estagiária do setor de tecnologia, Stella Vilaça, de 19 anos, controla bem as finanças. Em seu segundo emprego, ela já tem poupança e não passa um mês sem aplicar pelo menos a metade do salário. “Sempre tive o hábito de fazer listas quando ia viajar e levei isso para a minha vida financeira. Sei o quanto vou ganhar, quanto preciso poupar e o quanto posso gastar”, conta. “Por enquanto, tenho meus pais, que me ajudam a pagar a faculdade, mas não sei o que pode acontecer e por isso prefiro guardar”, acrescenta.
Entre os motivos para pensar no futuro, ela destaca o interesse em investir em um novo curso, fazer um intercâmbio ou apenas se precaver para alguma dificuldade.

De olho no futuro profissional, o publicitário Lucas Henrique Pinheiro Ramos, de 21, também economiza. “Comecei a trabalhar com 15 anos e minha mãe sempre me orientou para a importância de guardar para ter”, lembra. Além de pagar suas despesas fixas e as variáveis, ele consegue economizar de 20% a 30% do salário. “Sou rigoroso com poupança e não mexo no que tenho guardado. É como se fosse uma conta que tenho de pagar todo mês”, revela. Recém formado, ele conta que tem uma série de anseios e que usar o dinheiro guardado poderá ajudá-lo a conquistar um carro, uma casa e a estabilidade. “Depois disso, devo começar a pensar na aposentadoria”, diz.

De acordo com o educador financeiro e fundador da Academia do Dinheiro, Mauro Calil, é importante que, desde o primeiro salário, o jovem poupe para iniciar a construção de um patrimônio que o sustentará no futuro. Se ainda for solteiro e morar com os pais, Calil recomenda ao jovem poupar ao menos 50% da renda. “Se puder aumentar para 60% ou 70%, melhor”, afirma. Com as conquistas, como casa própria e a chegada da família, é interessante que os profissionais mantenham uma poupança de 30% da renda, nunca menor que 10%. “Isso acelerará a conquista da independência financeira”, garante.

Desafio

Sabrina Oliveira e Flávio Mesquita, da Horizontes Coaching, lembram que se organizar financeiramente exige disciplina, que consiste em abrir mão do prazer imediato para conseguir algo maior no futuro, e que esse é o maior desafio para as pessoas de 19 a 35 anos. “Compras por impulso com certeza vão desorganizar as finanças do jovem e impedi-lo de realizar seus objetivos a médio e longo prazos”, alerta Sabrina. Entre as dicas, eles destacam a importância de elencar objetivos financeiros a curto (um ano), médio (um a cinco anos) e longo prazo (mais que cinco anos), poupar uma quantia, ainda que pequena, para diferentes objetivos (veja quadro).

Ewerson Moraes, professor de finanças da IBS/FGV, alerta sobre a importância da educação financeira desde a infância e sobre a necessidade de se estabelecer um filtro no consumo. “Esse profissional consegue emprego ao sair da adolescência e entrar na vida adulta, momento que chamamos de época dos sonhos, e quer comprar o que não conseguia antes. No entanto, é preciso se precaver e imaginar o futuro”, diz. Para poupar, no entanto, Moraes lembra que é preciso ter um objetivo. “Quem não tem motivo acaba gastando o dinheiro. Se não quiser ter uma casa ou carro, que pense no futuro, em como quer estar financeiramente daqui a 20 anos”, comenta. Para começar a controlar o orçamento o professor indica a anotação dos gastos em planilhas e evitar compras por impulso, além de manter uma poupança com disciplina.

Embora a última preocupação dos que chegam ao mercado de trabalho seja se aposentar, o consultor do site de educação financeira do Mercantil do Brasil, Carlos Eduardo Costa, explica a necessidade de poupar com vistas a complementar a aposentadoria. “Com a expectativa de vida mais longa, o aposentado terá que viver mais tempo com a o benefício oficial, que tem se achatado. E a qualidade de vida custa muito”, considera.

Investimento
Para os jovens profissionais que começam a construir o seu capital, a poupança é o investimento mais indicado, já que não tem custo para o investidor. “Mesmo que não tenha uma remuneração alta, é um bom instrumento para juntar capital”, garante o consultor financeiro Carlos Eduardo Costa. “Quando tiver um montante maior, aí sim o melhor é procurar outras formas de aplicação que tenham custos e liquidez mais interessantes”, avalia.

Carolina Mansur
Fonte: Correio Braziliense / DF
Publicações
Pós: os cursos que têm a cara do Rio
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:23 hs.
25/11/2013 - Economia criativa, turismo, petróleo e gestão de projetos são tidos hoje como os mais cariocas

RIO — Que o Rio de Janeiro é famoso pelas praias, natureza e ambiente descontraído, todos sabem. Mas, quando o assunto é estudo, quais são os cursos que têm a cara da Cidade Maravilhosa? O Boa Chance perguntou, às principais universidades e instituições do estado, quais são as pós-graduações que têm tudo a ver com o Rio — tanto pela vocação natural da cidade, como pelas oportunidades de crescimento na carreira que elas proporcionam.

O resultado: as áreas da economia criativa, petróleo e gás e turismo despontam, e a gestão e gerenciamento de projetos também começam a ganhar espaço, em função de eventos como os Jogos Olímpicos e suas obras de infraestrutura, do próprio pré-sal e do crescimento do empreendedorismo.

— Hoje, por causa dos grandes eventos, os cursos que mais têm a ver com o Rio são aqueles ligados à área de turismo e ao gerenciamento de projetos. Além disso, todos aqueles ligados à característica solar da cidade, como moda, design e outros da economia criativa — afirma Beatriz Balena, pró-reitora de pós-graduação, pesquisa e extensão da Universidade Veiga de Almeida.

E a influência da cidade e das suas oportunidades na escolha de uma pós-graduação é direta, como destaca o coordenador adjunto de Comunicação Social do Ibmec/RJ, Eduardo Murad.

— Podemos agrupar os candidatos pelos seguintes motivos prioritários: (a) aperfeiçoamento profissional e continuidade da formação acadêmica, (b) mudança de carreira, (c) capacitação para nova função dentro da empresa em que atua, (d) preparação para uma nova oportunidade de mercado, o que inclui abrir uma empresa própria. Sendo assim, quando o mercado busca mais profissionais de uma determinada área ou com uma dada competência, há uma natural procura por pós-graduações em tal setor do conhecimento — diz Murad.

De olho no petróleo e no design

O engenheiro mecânico Rodrigo Pizarro, de 26 anos, acredita que a vocação do Rio para o segmento de óleo e gás o influenciou a ingressar no mestrado em Engenharia Oceânica da Coppe da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 2012. Desde 2011, ele trabalha na Promon Engenharia, onde desenvolve projetos no setor de óleo e gás, mais especificamente de plataformas offshore fixa do tipo Jaqueta e FPSOs para o pré-sal.

— Hoje, no Rio, temos o imenso desafio de recuperar as reservas do pré-sal em águas ultraprofundas. Há muito investimento e tecnologia envolvidos. A descoberta de novos reservatórios em águas cada vez mais profundas exige instalações de topside e sistemas submarinos complexos, além de um planejamento do desenvolvimento do campo cauteloso. Grande parte das inovações tecnológicas requeridas para a exploração do petróleo em águas profundas do pós e do pré-sal é desenvolvida nos laboratórios da Coppe — explica Pizarro.

Estar no Rio, para o engenheiro, também favorece a atuação na área:

— A proximidade do Centro de Tecnologia do Fundão e de outras universidades, como a PUC-Rio, facilita a capacitação. E a maior parte das empresas do setor está instalada no Rio: desde empresas de engenharia até aquelas de equipamentos e de serviços. E não podemos esquecer da Petrobras, principal cliente da maioria destas empresas e maior parceira das grandes universidades — diz o mestrando da Coppe.

O designer de móveis Felipe Tirelli, de 28 anos, se encaixa em duas tendências cariocas: além de atuar em uma área da economia criativa, é empreendedor e tem uma marca, que leva o seu nome. Em setembro do ano passado, começou a cursar o MBA em Design Estratégico da ESPM-RJ, com previsão de término em setembro de 2014.

— Quando comecei a pensar e planejar a minha marca, me deparei com questões jurídicas, de marketing e de administração, que não sabia responder. Olhando o conteúdo, vi que este MBA serviria para eu planejar melhor a minha marca e empresa e desenvolver outros negócios — conta Tirelli, que diz ter se interessado por design de móveis durante a graduação, na UFRJ. — O fato de a cidade do Rio sediar escritórios de grandes designers de mobiliários também facilitou a interação e o envolvimento com essa área.

IAG-Puc e Estácio traçam perfil

A Estácio fez uma pesquisa para traçar o perfil do seu aluno de pós no Rio e descobriu que o pós-graduando carioca está focado no mercado de trabalho e procura um curso lato ou stricto sensu em busca de melhor colocação no mercado e de salários mais altos.

— Percebemos que é um aluno bastante voltado para adquirir conhecimentos para o seu dia a dia profissional. É também um aluno que percebe que vivemos um momento importante no Rio de Janeiro, de muitas oportunidades, e que sabe que é preciso estar preparado para enfrentá-las — afirma Carlos Lacerda, coordenador nacional de pós-graduação da Estácio.

Na Escola de Negócios da PUC (IAG-PUC), uma pesquisa mostrou que também há esse direcionamento para o mercado entre os alunos de MBA, que, em sua maioria, têm entre 26 e 30 anos, e também o aumento da procura pelo curso de gestão de pessoas.

— Ao longo dos anos, o Rio perdeu muitos postos de gestão, mas a demanda está sendo retomada — avalia o coordenador de pós-graduação da Escola de Negócios da PUC-Rio, Moisés Balassiano.

Quando a teoria reforça o que a prática ensinou

A economia criativa tem, de fato, peso grande no Rio. Pesquisa da Firjan indica que os profissionais fluminenses desse setor são os mais bem remunerados do Brasil. Enquanto a renda média mensal paga pela indústria criativa no país é de R$ 2.296 (dados de 2010), no estado, esse valor médio chega a R$ 3.014. Mas é um segmento em que fazer pós-graduação não é tão recorrente quanto nas engenharias, por exemplo.

— É uma questão cultural. A prática sem a teoria é como uma gelatina fora da geladeira: tem certa consistência, mas precisa de mais para ficar firme. A pessoa que faz uma pós tem condições de estruturar sua prática. A economia criativa precisa de teoria mais prática para se perpetuar — acredita Beatriz Balena, pró-reitora de Pós-graduação da Universidade Veiga de Almeida.

Chance para networking

Seguindo essa linha de pensamento, a cineasta Clara Linhart se matriculou na pós “Cinema documentário”, da Fundação Getúlio Vargas, no Rio, curso que concluiu no início deste ano. Seu projeto final, o curta-metragem “Luna e Cinara”, foi selecionado para festivais em Brasília, Salvador, Goiânia e Portugal.

— Sempre quis voltar a estudar, mas não tinha tempo, pois, quando a gente entra na vida profissional, fica difícil abrir brechas, especialmente na minha profissão, que tem carga horária de 12 horas de trabalho por dia — conta Clara, que atuou como assistente de direção em filmes como “Tropa de elite” e “Baixio das bestas”. — Me aprimorei muito na prática, mas voltar a estudar foi muito instigante, também porque me deu ferramentas para tocar meus próprios projetos.

Além do conhecimento teórico adquirido — que colocou em prática, por exemplo, trabalhando na distribuição de um filme de sua produtora, coisa que nunca tinha feito antes —, Clara diz que a pós-graduação lhe permitiu ampliar o networking na área de cinema:

— Pude criar uma rede de trabalho e amigos muito forte.

Graduado em design de moda e em jornalismo, o niteroiense Wilton Araujo está cursando o MBA “Comunicação e marketing em mídias digitais”, na Estácio, depois de já ter feito uma especialização em marketing de varejo.

Para Araujo, que trabalha numa grande rede de varejo, fazer um curso como esse tira os profissionais do terreno do “achismo” que, diz, ainda domina as redes sociais:

— Aprendo muitas técnicas que aplico no dia a dia, sobre mensuração de resultados, conversão de clicks, rastreamento. O Rio é inspirador, e a área de moda está crescendo. Conhecimento sempre agrega e já penso fazer mestrado em antropologia do consumo.

‘É preciso avaliar o momento’

Ana Ligia Finamor, coordenadora do MBA “Gestão empresarial” da FGV, chama atenção para o fato de que as oportunidades geradas no Rio são notadas por todos.

— Todo mundo está vendo a demanda, então é preciso se diferenciar, por meio do curso de pós-graduação e pela postura empreendedora — acredita Ana Ligia, que vai coordenar também o MBA “Gestão estratégica do esporte”, a ser lançado em abril. — O esporte, por exemplo, tem a cara do Rio de Janeiro, mas está num momento muito mais forte por causa dos eventos esportivos. É preciso avaliar o momento da cidade, além da vocação.

Maíra Amorim
Fonte: O GLOBO
Publicações
Site do cientista Sergio Costa Ribeiro será lançado nesta segunda no Rio
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:21 hs.
25/11/2013 - O cientista Sergio Costa Ribeiro será homenageado nesta segunda-feira (25) no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Um site sobre o pesquisador será lançado com textos acadêmicos, reportagens, artigos e entrevistas para a imprensa a partir das 18h.

O pesquisador, que morreu em 1995, é reconhecido no mundo acadêmico por ter divulgado a existência da "pedagogia da repetência" no sistema educacional brasileiro. O evento é organizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e o Núcleo de Antrpologia Na Escola.

O lançamento acontece no Largo São Francisco de Paula, no Centro do Rio, a partir das 18h. Para acessar o site, clique aqui.
Fonte: G1 - Rio de Janeiro/RJ
Tecnologia Educacional
Fortaleza não oferece internet gratuita nos espaços públicos
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 09:29 hs.
25/11/2013 - No ano passado, seis praças do Centro contavam com wi-fi através do projeto Praças Conectadas

Em junho do ano que vem, Fortaleza volta a ser palco de um evento mundial de futebol. No legado anunciado pelos governos municipal, estadual e federal, além da reforma e ampliação da Arena Castelão - primeiro estádio do Brasil a concluir as obras para a Copa do Mundo de 2014 -, estão obras de mobilidade urbana, com a construção de túneis e viadutos. No que diz respeito à conectividade, no entanto, a cidade ainda está muito aquém do esperado para um evento de grande porte. Prova disso é que não possui nenhum ponto de internet gratuita - via rede wi-fi - em espaços públicos.

Apesar de aparecer o sinal, não é possível navegar na rede.

No ano passado, seis praças do Centro contavam com internet liberada, através do projeto Praças Conectadas - Praça do Ferreira, Passeio Público, Praça da Estação, Praça Coração de Jesus, Parque da Liberdade/Cidade da Criança e Praça José de Alencar. Por considerar o projeto obsoleto, a nova gestão optou por interromper o serviço e fazer uma reformulação da iniciativa, que ainda não tem previsão de data para começar a funcionar.

Teste

Para testar a oferta do serviço, a equipe de reportagem percorreu as seis praças. Em todas elas, o sinal do Fortaleza Digital apareceu, mas não foi possível navegar. O teste foi feito mais de uma vez, em pontos diferentes dos logradouros. Em alguns, o sinal do wi-fi nem sequer apareceu. Apesar de não ter usufruído da tecnologia, o proprietário de uma banca de revista na Praça do Ferreira, Francisco Paixão, 65, confirma que na gestão anterior tinha internet gratuita na praça. "É necessário. Em tudo a internet está presente", frisa. Ele acrescenta que seria uma forma de atrair mais pessoas ao Centro.

Rosana Lins, proprietária do Café Passeio, diz que, durante a semana, o Passeio Público recebe um grande número de pessoas que acessam internet para trabalhar, mandar e-mail, se comunicar. Os turistas, quando estão de passagem e identificam que tem o sinal da rede wi-fi, também utilizam. Às vezes, passam a tarde inteira navegando, colocando a correspondência em dia. "Quando não tem internet, a gente sente o quanto ela é importante", destaca.

Outro ponto positivo que a internet gratuita proporciona é o fato de atrair jovens às praças. "Muitos deles não têm inclusão digital em casa, um local com acesso fácil, então procuram as praças, que têm esse acesso liberado", observa Rosana.

Rodrigo Cavalcanti, coordenador do Grupo de Pesquisa em Telecomunicações sem Fio (Gtel) da Universidade Federal do Ceará (UFC), diz que a internet gratuita tem o apelo da inclusão digital e do turismo, principalmente em Fortaleza, cidade com indiscutível vocação turística. Porém, destaca que é preciso ser feito um projeto sério. "Esse não é o tipo de serviço que você faz só para dizer que fez, tem que ter estrutura governamental para dar suporte. O difícil não é implantar um sistema desses, difícil é manter", ressalta.

Uma possível alternativa apontada pelo especialista seria a criação de um modelo de negócio no qual o governo faria uma concessão para que empresas privadas explorassem o serviço. Em princípio, diz o professor, elas teriam mais agilidade e facilidade de se manterem atualizadas tecnologicamente do que um departamento de governo. "É uma questão ideológica, se o governo deve ou não estar diretamente operando. Ele deve ser, sem dúvidas, aquele que patrocina esse serviço, mas operar exige certa agilidade e capacidade de atualização desses equipamentos. É preciso criar um projeto sério para que funcione a longo prazo, se não será desperdício de dinheiro público", alerta Cavalcanti.

Através da assessoria de imprensa, a Prefeitura esclarece que o método utilizado pela gestão anterior (via rádio) era instável, além de não ser o meio mais viável. Entretanto, garante que o projeto está sendo inteiramente reformulado para que seja posto em prática através de cabos de fibra ótica - mesma tecnologia utilizada pelo Cinturão Digital. Após concluído, deverá funcionar nas principais praças e pontos turísticos da cidade sendo, inclusive, ampliado. A Beira-Mar, por exemplo, segundo a Prefeitura, é um dos locais que deverá ter internet gratuita.

32 municípios disponibilizam wi-fi

O apelo da inclusão digital vai muito além da Capital e dos principais municípios cearenses. Em tempos de mundo globalizado, o acesso à internet torna-se um elemento quase que imprescindível. Apesar disso, no Ceará, apenas 32 dos 184 municípios oferecem internet em espaços públicos (via rede wi-fi), o que corresponde a 17,4%. Apesar do número reduzido, a média é a maior do Nordeste. Em seguida está Pernambuco (15,6%), Alagoas (12,7%), Bahia (10,7%), Paraíba (8,9%), Maranhão (8,7%), Rio Grande do Norte (8,3%), Sergipe (2,6%) e Piauí (2,6%).

Os dados são da Pesquisa de Informações Básicas Municipais (Munic), realizada em 2012, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em todo o País, dos 5.565 municípios da federação, apenas 744 oferecem internet de forma gratuita. Desse total, em 382 a área de cobertura se restringe a alguns bairros da área urbana e 181 à parte urbana e à rural.

Cinturão digital

No Ceará, cerca de 60 municípios utilizam o Cinturão Digital para acessar a internet. A conexão se dá através de uma rede de 3 mil quilômetros de fibra ótica, construída e operada pelo governo do Estado. A velocidade de é dez gigabytes por segundo.

"Chegando ao município, o gestor faz o que quiser: oferece via wi-fi, por vídeo conferência, para telefonia móvel, em hospitais, onde pode implantar o tele-medicina para que os profissionais não tenham que vir a Fortaleza. Tudo isso pode ser utilizado através do Cinturão Digital. O que nós fazemos é o transporte de dados", esclarece Fernando Carvalho, presidente da Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice). O projeto foi implantado em 2010, inicialmente para atingir os 50 maiores municípios do Estado. Hoje, abrange cerca de 60.

Nem todos, entretanto, oferecem internet gratuita em espaços públicos. "O governo projetou essa rede para que as pessoas maciçamente se conectem em todo o Estado. Isso não se faz da noite para o dia, mas a gente espera que até o fim do ano que vem maior parte dos municípios estejam conectados", frisa.

O gestor salienta a importância da oferta de internet pelos gestores em todos os municípios cearenses. "Grande parte das nossas atividades só podem ser realizadas se estivermos conectados. Hoje, a internet se tornou uma necessidade para tudo. Sem falar nas atividades de entretenimento, que também são muito importantes", destaca. Carvalho informa que Fortaleza possui 300 Km de cabos de fibra ótica através do Cinturão Digital, mas a rede será ampliada para 500 Km. "Vamos conectar todas as escolas da Capital".

LUANA LIMA
REPÓRTER




Fonte: Diário do Nordeste - Fortaleza/CE
Tecnologia Educacional
Mesas educacionais usam tecnologia de ponta para alfabetização
Notícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 08:04 hs.
25/11/2013 - Hoje, antes de aprender a amarrar os sapatos ou andar de bicicleta, a maioria das crianças já está familiarizada com os meios digitais.

Se a tecnologia já faz parte da vida dos pequenos desde cedo, nada mais natural do que usá-la a favor da educação já no início de sua trajetória escolar. Um bom exemplo desta utilização são as Mesas Educacionais desenvolvidas pela Positivo, especializada em tecnologia educacional - seus produtos estão presentes em cerca de 8,9 mil escolas públicas, 2,2 mil escolas particulares do País.

A um olhar desatento, podem parecer apenas mesas de plástico com banquinhos coloridos e blocos de montar, objetos comuns encontrados em qualquer sala de aula de educação infantil. No entanto, as mesas educacionais usam tecnologia de ponta para auxiliar na alfabetização, ensino de matemática, línguas estrangeiras, entre outras funções. Exportadas para mais de 40 países, as mesas desenvolvidas pela Positivo Informática foram notícia ao redor do mundo no ano passado, quando a chanceler alemã Angela Merkel e a presidente Dilma Rousseff, em visita à CeBIT 2012 - maior feira de tecnologia do mundo, realizada em Hannover (Alemanha) - pararam no estande da empresa e testaram a Mesa Educacional Alfabeto. O Terra visitou à fábrica da Positivo, em Curitiba, a convite da empresa, para conhecer o produto.

O equipamento testado pelas chefes de estado é voltado a crianças com idades entre 4 e 9 anos, pode ser usado por até seis pessoas ao mesmo tempo e trabalha com realidade aumentada e recursos de aprendizagem colaborativa, incentivando assim a socialização. A mesa é composta por módulos eletrônicos e atividades interativas multimídia desenvolvidas para a aprendizagem de conteúdos de diversas áreas do conhecimento, possui mais de 1.800 vocábulos e 1.100 imagens, fábulas, provérbios, cantigas de roda e trava-línguas. No entanto, este universo pode ser expandido por meio da inserção de textos, palavras, imagens, sons e vídeos criados de forma interativa.

O gerente de desenvolvimento de novos produtos da divisão de tecnologias educacionais da Positivo, Alex Paiva, está à frente da criação das mesas educacionais desde o primeiro protótipo, criado em 1998, ainda utilizando blocos de madeira. Ele explica que a partir de atividades simples como encaixar blocos coloridos com as letras do alfabeto ou criar historinhas com fantoches, o aluno aprende a reconhecer letras, construir palavras, associá-las ao seu significado, ler, escrever, interpretar textos, além de desenvolver outras habilidades fundamentais, como criatividade, coordenação motora e resolução de problemas.

Além da mesa Alfabeto, há ainda outras que completam a linha de mesas educacionais da empresa. A mesa E-Blocks, voltada ao ensino de idiomas (inglês e espanhol), é a campeã de exportações, sendo usada até mesmo na China. A E-Blocks Matemática, indicada para alunos da educação infantil ao segundo ano do ensino fundamental, associa software e hardware a materiais simples, como blocos, para trabalhar noção espacial, objetos geométricos, tamanhos, formatos, dimensões, identificação de números, soma, subtração, padrões sequenciais, comandos lógicos e soluções de problemas.

Já a Mesa Educacional Mundo das Descobertas combina atividades interativas com materiais manipuláveis, como bichos de pelúcia, jogos de dominó, memória, quebra-cabeças, conjuntos de letras e números. Inclusivas, as mesas foram pensadas para atender também alunos com necessidades especiais. Os pequenos com dificuldades auditivas ou visuais contam com recursos como leitura em Libras, lupa, navegação pelo teclado e cubos em Braile.

Reconhecimento

Completando o conjunto de mesas educacionais da Positivo, a Mesa Educacional TOQ é o lançamento mais recente da linha. Configurada para o ensino da Língua Portuguesa no Ensino Fundamental, com centenas de atividades divididas por esferas linguísticas e gêneros textuais, a TOQ se diferencia das demais principalmente por sua tela horizontal sensível ao toque e a navegação por consenso, em que as atividades só podem ser realizadas se todos os usuários concordarem, o que ajuda os pequenos a desenvolver habilidades sociais importantes como colaboração, interação e assertividade.

Para utilizar os recursos e acessar os conteúdos da Mesa Educacional TOQ cada criança deve criar seu próprio avatar, escolhendo características como cor de pele, cabelos, olhos, roupas e acessórios. Ativar ou desativar funcionalidades e interromper ou dar prosseguimento a alguma atividade são algumas das tarefas que os alunos, por meio de seus avatares, devem decidir enquanto usam a mesa educacional. Poucos meses após seu lançamento, no final do ano passado, a TOQ foi escolhida vencedora do WorlddidacAward 2012, maior prêmio mundial no setor de tecnologia educacional, na categoria inovação. Mais recentemente, conquistou também a prata na categoria Informática do Prêmio IDEA/Brasil 2013, edição nacional do maior prêmio de design dos Estados Unidos.

Alunos testam a mesa

O Colégio Visconde de Porto Seguro, em São Paulo, testou a mesa com alunos das turmas de Infantil 4, 5 e 1º ano das três unidades do Portinho - educação infantil. O resultado foi satisfatório e três Mesas Educacionais Alfabeto com realidade aumentada já foram encomendadas e devem chegar em algumas semanas.

A mesa foi utilizada em atividades de criação de histórias, em que as crianças sentavam-se em pequenos grupos e podiam, com certa autonomia, interagir com a máquina. Além disso, realizaram desafios de encontrar a letra do nome do colega nos blocos.

A diretora de tecnologia educacional do colégio, Renata Pastore, acredita que essa tecnologia nunca substitui a atenção do professor, que deve estar constantemente direcionando e conduzindo as atividades. “Todo o trabalho com tecnologia precisa ser pensado juntamente com a equipe pedagógica”, diz.

Renata enxerga o potencial da mesa em unir diversas áreas de estudo, de conhecimento de mundo, visando ao objetivo final da alfabetização.

Os professores perceberam que a ferramenta foi uma maneira de fazer as crianças trabalharem juntas, em colaboração para a apresentação do conteúdo. E a novidade tem um estímulo diferente. “O desafio que a mesa representou foi uma maneira de construir a autoestima”, conta. Além disso, ela aponta que é interessante para o desenvolvimento da identidade da criança, de modo que ela seja a protagonista.

As mesas do Portinho já devem ser postas em uso no próximo ano letivo. Mas Renata afirma que ela passará por período de introdução assim que chegar e alguns professores devem usá-la na “aula aberta”, ocasião em que os pais visitam a escola.

Cartola - Agência
Fonte: TERRA
Copyright © 2014 CM Consultoria de Administração Ltda.